Redação do Inverta: LIBERDADE JÁ!

O fato de que o acordo humanitário ainda não tenha se concretizado só demonstra, uma vez mais, o caráter lacaio e fascista do governo Uribe. A troca de prisioneiros é um direito! Que todos possam voltar às suas casas! Liberdade, Liberdade, LIBERDADE JÁ!

LIBERDADE JÁ!

 

As negociações para que se concretize um Acordo Humanitário de troca de prisioneiros entre as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia e o governo colombiano de Álvaro Uribe têm ocupado cada vez mais espaço na mídia.

Chávez assumiu o papel de mediador das discussões, oferecendo o território venezuelano para reunir-se com o alto mando das FARC-EP no último dia 8 de outubro, no 40º aniversário da queda em combate do Guerrilheiro Heróico Che Guevara; segundo a senadora colombiana Piedad Córdoba, nomeada facilitadora do acordo, estavam destacados como emissários pelas FARC-EP os camaradas Ivan Márquez e Mono Jojoy e o encontro teve de ser adiado pela ausência de garantias de segurança por parte de Uribe a esses emissários.

O acordo de troca de prisioneiros é um princípio do direito internacional. Devemos saudar os recentes esforços para que se concretize, e o apoio que tem recebido de juristas, intelectuais, parlamentares e chefes de Estado por todo o mundo, como Ortega, Muamar el Gadafi, a União Européia e até Lula, que, após a nomeação de Chávez como mediador, ofereceu o território brasileiro para que se concretizasse o acordo.

Que não confundam, no entanto, “acordo humanitário” com “acordo de paz”, como têm exigido muitos dos apoiadores do acordo humanitário. Mesmo com a libertação unilateral, há alguns anos, por parte das FARC-EP, de 350 prisioneiros de guerra, o governo fascista de Uribe tem se recusado a negociar a troca de 45 prisioneiros capturados pelas FARC, dentre eles os 2 únicos prisioneiros de guerra estadunidenses vivos no mundo, por cerca de 500 guerrilheiros e guerrilheiras, prisioneiros de guerra, insistindo em caracterizar a guerrilha como terrorista e fugindo do próprio Convênio de Genebra, do qual é signatário.

Enquanto acusa as FARC de serem narcoterroristas, Uribe tenta esconder a relação umbilical de sua família com o narcotráfico e os recentes escândalos da “para-política”. Fumiga Colômbia e Equador com glifosato, exterminando as plantações de comida, com uma substância cancerígena. Enquanto exige “paz e democracia” para a Colômbia, ataca a guerrilha em supostas  “ações para a libertação dos prisioneiros”, como a ação recente na qual morreram 11 deputados colombianos, e extradita cidadãos colombianos para os Estados Unidos contrariando todas as normas do direito internacional e fazendo sangrar a soberania do país.

As FARC são, antes de mais nada, força política. Força beligerante que luta pela definitiva liberdade do povo colombiano, que só poderá ser conquistada com a revolução comunista. Exército do Povo, que defende o futuro com honra e dignidade indescritíveis, ao preço de seu próprio sangue. Segundo Comunicado de seu Secretariado do Estado Maior Central de abril de 2004, durante o ano de 2003 as FARC combateram a Força Pública e os paramilitares em 4.447 oportunidades (12,18 por dia), nas quais houve 5,291 mortos e 4.701 feridos por parte do exército e dos paramilitares e 540 guerrilheiros e 84 milicianos mortos, além de 339 feridos.

Assim, a paz só será possível na Colômbia quando cessar a violência estatal e paramilitar que massacra intensamente o país há pelo menos 5 décadas. As causas que levaram à insurgência popular permanecem e se agudizam, num momento de aliança incondicional de Uribe com o governo dos EUA, que tenta sugar cada gota de petróleo no Oriente Médio pela força, massacra os povos latino-americanos e caribenhos com condições atrozes de exploração, golpeia as veias abertas da África. A luta do povo colombiano é a luta de todos os povos os povos do globo escravizado, é a luta de todos os povos explorados de Nossa América, pelos quais lutou Bolívar, é nossa luta!

O fato de que o acordo humanitário ainda não tenha se concretizado só demonstra, uma vez mais, o caráter lacaio e fascista do governo Uribe. A troca de prisioneiros é um direito! Que todos possam voltar às suas casas! Liberdade, Liberdade, LIBERDADE JÁ!  

Redação INVERTA

lian
lian disse:
13/01/2011 14h50
Hasta la vitoria siempre
aragoneza
aragoneza disse:
13/01/2011 14h50
Uribe,é tido por seus patrões capitalistas como um elemento ligado ao narco tráfico.(verificar em US defense Intelligence about Uribe).Rafale Correa e Chavez têm sido alvo de ofensas contra seus governos e em nenhum momento os ouvi falar sobre isso.É preciso ousar e dizer de que o capacho colombiano é acusado.A cocaína deve fluir peas terras de Uribe,pois o EUA teriam uma maneira de controlar seu povo fetichista pelo materialismo, e viciado por ausência de dignidade e valores.Era considerado o de número 82 no ranking dos traficantes,ora,creio que está em ascensão
Comentários foram desativados.