Movimento

MÚSICOS MINEIROS RETOMAM SINDICATO

Há 70 anos era fundado o Sindicato dos Músicos Profissionais de Minas Gerais – SINDMUSICOS MG e há 30 anos um grupo se mantinha no poder do sindicato. No dia 30 de outubro, em uma eleição disputadíssima, a Chapa 2 encabeçada pela flautista Vera Pape acaba com a dinastia de Luiz Fernando Peixoto.

Camarada Rosida, presente!

É com profundo pesar que nos despedimos da camarada Rosida Ferreira da Silva. Ela continuará a ser um exemplo de trabalhadora, mãe e revolucionária! Uniu sua vida e sonhos ao camarada Manoel Miguel da Silva, que igualmente é um exemplo para todos nós de trabalhador, pai e revolucionário.

Carlos Araújo vive em nosso coração e luta!

Todo nosso pesar pelo desaparecimento físico do amigo e companheiro de luta Carlos Araújo. Para mim e todos que o conheceram, mesmo que minimamente, sua presença será indelével pelo pensamento objetivo e ideais que transcendiam ao trabalhismo herdado do pai.

Centenário de Maria Augusta Tibiriçá

O aniversário da médica e imprescindível militante em defesa das riquezas do Brasil, Maria Augusta Tibiriçá, que completou 100 anos no dia 8 de maio de 2017, foi comemorado com um emocionante ato de homenagem à sua trajetória de vida e lutas por um país melhor.

As consequências neoliberais do golpe para as mulheres trabalhadoras

Historicamente, com a divisão social e sexual do trabalho, as mulheres são os coletivos mais explorados e de vida mais precarizada dentro da complexidade da sociedade de classes. No modo de produção capitalista, o patriarcado (sistema de dominação da mulher pelo homem) apresenta inúmeros benefícios para a manutenção e ampliação do lucro - possível graças à transformação das diferenças em desigualdades e espaços maiores à exploração da força de trabalho.

GREVE EM TODO O BRASIL CONTRA AS REFORMAS DE TEMER

Neste dia 30 de Junho milhões trabalhadores brasileiros se manifestaram em todo o país contra as Reformas da Previdẽncia e Trabalhista do governo golpista de Michel Temer. Todos os estados da federação tiveram protestos contra a retirada de direitos dos assalariados, pensionistas e aposentados.

Greve Geral em São Paulo

Dia 30 de junho foi mais um dia de luta contra o golpe na capital paulista. As mobilizações começaram cedo em bairros periféricos e nos locais de trabalho das categorias que pararam, e terminaram com um grande ato na Av. Paulista, região central de São Paulo.

Greve Geral de lutas e mobilizações em Fortaleza

A segunda Greve Geral em Fortaleza caracterizou-se pela unidade de centrais sindicais, Frente Brasil Popular e Frente Povo Sem Medo, diversos sindicatos de trabalhadores, movimentos sociais e partidos de esquerda desde as primeiras horas do dia 30/06. O PCML e CLCN participaram ativamente das mobilizações, contribuindo com a palavra de ordem “Anular o Impeachment e Derrotar o Golpe”.

Camelôs do RJ protestam contra uso de armas não-letais pela Guarda Municipal

Os trabalhadores do comércio informal da cidade do Rio de Janeiro protestam contra a aprovação do Projeto De Emenda À Lei Orgânica 16/2014, que autoriza o porte e uso de armas “não-letais”, entre elas o taser, pelos agentes da Guarda Municipal. A medida foi aprovada no último dia 20/06 em segunda discussão e não precisa da sanção do prefeito para entrar em vigor.

Estudantes no RJ em defesa do passe livre!

No dia 08/05, estudantes das escolas públicas do Rio de Janeiro realizaram ato no centro da cidade em protesto contra a decisão do governo estadual de suspender o direito à gratuidade do transporte para alunos do ensino fundamental e médio das redes municipal e federal.

Um 28 de abril de avanços nas lutas de massas no Rio de Janeiro

Desde o golpe de Estado que depôs a presidenta légitima Dilma Rousseff o movimento de massas não via tamanha manifestação em combate ao governo golpista que impôs uma agenda neoliberal, visando o desmonte da economia nacional transferindo riquezas para os países centrais do capitalismo, aumentando a superexploração da classe trabalhadora através das contrareformas (previdência, trabalhista e do ensino médio), somada a um ascenso fascista apoiado pela mídia monopolista e por um “superpoderoso” judiciário acima do “bem e do mal”.

Greve Geral em São Paulo

Após 100 anos da greve geral de 1917 a capital paulista teve milhares de trabalhadoras e trabalhadores lutando contra a retirada de seus direitos pelos golpistas. A greve geral que há meses vinha sendo organizada deve adesão nacional, sendo considerada pela Frente Brasil Popular a maior greve da história do Brasil com adesão de 35 milhões de pessoas.