Jornaleiros amigos do INVERTA: Wilson, de Alcântara-RJ

As bancas de jornais fazem parte do cotidiano do leitor em todo o mundo, no Brasil e no Rio de Janeiro não é diferente, porém, com o avanço do fluxo de informações online, entre outras razões, a permanência desses espaços nas ruas das cidades constitui-se em uma mostra de resistência, tanto por parte das bancas como dos jornais e revistas, principalmente, para a imprensa alternativa e revolucionária.

O INVERTA conversou com o jornaleiro Wilson Ferreira, 46 anos, natural de Vila Velha – ES, dono da Banca do Wilson, em Alcântara-RJ. Assim, conhecemos um pouco da vida desse amigo do Jornal INVERTA.

INV - Quanto tempo trabalha como jornaleiro?

WF - Há 20 anos. Já trabalhei em vários pontos da área metropolitana de Niterói,  já tive banca em Santa Rosa, em São Gonçalo e atualmente em Alcântara.

INV - Como eram as vendas e como estão atualmente?

WF – Já ganhei dinheiro com venda de jornais, dava para viver bem com minha família, porém, hoje, com a chegada da internet diminuiram bastante as vendas.

INV - No local em que está localizada sua banca, como o senhor considera as vendas?

WF – Como já falei, com a chegada da internet hoje quase ninguém compra mais jornais e isso não é só aqui, mas em todos os lugares. Estou no centro de Alcântara onde tem um centro comercial muito bom, porém, as pessoas não param mais para ler jornal, já que pelo computador ela fica sabendo de tudo. No ponto onde estou, minha banca não vende só jornais, eu vendo várias outras coisas, como isqueiros, canetas, jogos  e outros utensílios.

INV - Como o sr. está avaliando a situação do Brasil?

WF – Houve muito desvio de verbas e chegou onde chegou, e quem paga é o povo. Somos nós que estamos sentindo os efeitos da crise causada pela corrupção.

INV -  Deixe uma mensagem para o povo brasileiro:

WF - Não podemos perder a esperança, temos que continuar acreditando em um Brasil melhor e que as coisas vão melhorar, eu penso igual ao Clodovil, tinha que diminuir o número de deputados e senadores e também diminuir os seus salários.


Denise Alves

Sucursal RJ