Derrota das forças conservadoras em Goiás

Para os Comunistas Revolucionários, os ganhos estão na oportunidade da discussão política que se trava nas eleições burguesa. Mesmo com pouco recurso, podemos denunciar a farsa do sistema eleitoral movido e motorizado pelo capital.

A base da Presidente Dilma foi a grande vencedora do processo eleitoral goiano. PSB, PDT e PT foram os partidos que mais registraram ampliação de vitória no número de prefeituras e não haverá segundo turno no estado. Nos maiores colégios eleitorais de Goiás: Goiânia, Anápolis e Aparecida de Goiânia, o eleitor não necessitará voltar às urnas. Os antes hegemônicos PSDB e DEM sucumbiram ante ao escândalo Cachoeira e a vergonha de um senador cassado.


Na capital Goiânia, favorecido pelo não envolvimento com o caso, o atual Prefeito reeleito do PT, o médico Paulo Garcia, desponta como grande liderança do partido. Hoje revigorado, pois era vice e recebeu a Prefeitura de Goiânia de Iris Resende do PMDB, derrotado nas eleições para o governo do estado, vai governar novamente a cidade que representa quase 40% da densidade demográfica de Goiás.


O avanço representa um golpe nas forças conservadoras que sempre dominaram o estado. Rachado, DEM e PSDB cada vez mais se distanciam. A capital, Goiânia foi espelho disso: cada um dos partidos polarizou uma candidatura. O “fantasma” Cachoeira pairou sobre todos que trataram de ensaiar um silencio sepulcral sobre o tema.


Para os Comunistas Revolucionários, os ganhos estão na oportunidade da discussão política que se trava nas eleições burguesa. Mesmo com pouco recurso, podemos denunciar a farsa do sistema eleitoral movido e motorizado pelo capital. Na verdade, quem não tem dinheiro para contratar a ‘peso de ouro’ um bom marqueteiro, esta fora das eleições. São milhões gastos com produtoras, agencias e cabos eleitorais. A vontade do candidato sucumbe a um plano de marketing que tem o único objetivo de ganhar as eleições. “Vencer” torna-se mais importante que beneficiar a população. Suas vontades, seu modo de vestir e se dirigir as pessoas é fiscalizado por um grupo de “especialistas” em iludir as massas.


Mas é importante ressaltar a oportunidade de crescimento no sentido de recrutar militantes levando nossa posição e mostrando as contradições do sistema, conforme versa o editorial do Inverta que trata das eleições. O pleito eleitoral dentro da democracia burguesa, mesmo com todas as imperfeições geradas pelo sistema capitalista, é uma oportunidade real para isso.


Laércio J da Silva Sucursal Goiás