Por que os tucanos paulistas não estão na foto com Cachoeira?

Qual a empreiteira que foi a responsável pela ampliação da Marginal Tietê em São Paulo? A Delta Construtora do bicheiro Carlinhos Cachoeira!

A quadrilha na cúpula do PSDB paulista se profissionalizou na formação de caixa 2. Acumularam rios de dinheiro com o sucateamento das empresas estatais estratégicas e com a consequente farra durante a venda das mesmas. Bilhões foram desviados na privatização, o crime de lesa-pátria, fartamente denunciado e investigado. As oligarquias paulistas (banqueiros, latifundiários e grandes industriais, comerciantes e imprensa), maiores beneficiários e agentes do saque, abafaram toda a roubalheira. Apesar da mordaça da grande mídia fascista, vários livros foram lançados e ainda continuam sendo escritos, detalhando a macabra engenharia do roubo tucano (PSDB), o maior então em toda a América Latina.


Como a farra das privatizações acabou com o fim do governo FHC, a quadrilha tucana procurou outra engenharia para se armar financeiramente. O seu caixa 2 passou abastecido fundamentalmente com o tradicional superfaturamento e aditivos nas obras públicas e superfaturamento nos contratos de terceirização. O assalto aos cofres públicos foi seguido de avalanches de denúncias, de farta documentação, de várias CPI’s (Comissão Parlamentar de Inquérito), etc. Mais uma vez as oligarquias paulistas manobraram as instituições (parlamento e judiciário) e, mais uma vez, empurram toda a sujeira para debaixo do tapete. A grande mídia fascista (Folha, Estadão, Veja, Época, Globo, Band etc.) amordaçou seus “investigativos” jornalistas e sangrou a liberdade de imprensa dos órgãos independentes. Sobreviveu em silêncio com os milhões e mais milhões em escusos contratos de assinaturas de jornais e revistas e de propaganda das “obras públicas” do governo tucano.


Quem foi um dos principais personagens que enriqueceu abruptamente à custa de esquemas de roubo da máquina estatal paulista? Paulo Vieira de Souza!


Paulo Preto foi nomeado diretor de Engenharia da Dersa (Desenvolvimento Rodoviário S. A.) assim que o governador José Serra tomou posse (2007). Antes disso, Paulo Preto foi assessor especial de FHC durante o seu segundo mandato na presidência da República. A exemplo do ladrão que é colocado para cuidar do ouro, o “homem-bomba tucano” (apelido que lhe foi dado por ser o arrecadador do caixa 2 do PSDB paulista e comandar os desvios de recursos da máquina estatal em contratos com empreiteiras) passou a ser o responsável pelas medições das obras contratadas e pagamento das empreiteiras durante o governo Serra. Sob o seu comando estavam então as principais obras de Serra: a construção do trecho Sul do Rodoanel e a ampliação da Marginal Tietê. O superfaturamento na construção do Rodoanel foi investigado pela “Operação Castelo de Areia” a partir de denúncias do Tribunal de Contas da União (TCU). A beneficiada com o superfaturamento foi a famigerada construtora Camargo Correia.


Agora o que está na mídia fascista é a CPI do Cachoeira. A grande mídia procura, com a sua propaganda, ofuscar o seu envolvimento direto com o crime organizado, com as espionagens clandestinas e com a plantação de falsas notícias. Ela fala da corrupção dos outros e não para fazer uma faxina no pântano da política neoliberal e na quadrilha de mercenários tucanos e democratas.


Qual a empreiteira que foi a responsável pela ampliação da Marginal Tietê em São Paulo? A Delta Construtora do bicheiro Carlinhos Cachoeira!


Por que esse contrato do governo tucano de São Paulo não aparece na grande mídia fascista e nem tampouco é objeto de investigação da CPI? Porque envolve diretamente o chefe da roubalheira tucana e paulista (o tal “compre um (PSDB) e leve dois (PSDB e PFL)” de Serra e Arruda)! Foi precisamente José Serra quem trouxe a Delta do bicheiro para São Paulo. O primeiro contrato de prestação de serviços com a Delta se deu em 2005, quando ainda era prefeito da capital. O contrato foi de R$ 11 milhões. Depois de cerca de 30 outros contratos, só um realizado no final do ano passado para a limpeza urbana, agora sob o comando do seu sucessor Geraldo Alckmin, a Delta faturou R$ 1,1 bilhão, isto é, 100 vezes maior à primeira experiência... O Ministério Público de São Paulo já instaurou Inquérito Civil para investigar as irregularidades nesta licitação, o superfaturamento na obra, além de corrupção ativa.


Por que a mídia fascista cita, mesmo que de forma muito sutil, os governadores Marconi Perillo (PSDB-GO), Agnelo Queiros (PT-DF) e Sergio Cabral (PMDB-RJ), mas não menciona nenhuma palavra sobre as relações com os governos de São Paulo (José Serra, Geraldo Alckmin e Gilberto Kassab)? Porque a quadrilha na cúpula do PSDB e DEM paulista é a cara dos EUA, a cara dos banqueiros e das multinacionais, a cara da contra revolução internacional, em suma, os testas-de-ferro do neoliberalismo no país, em associação com a grande mídia. A mídia precisa apagar o condenável e obscuro passado de José Serra e transformá-lo no mosqueteiro da justiça, igualdade e fraternidade, a exemplo do velhaco e sócio do banqueiro bicheiro Demóstenes Torres (DEM-GO).

José Tafarel