SP tem a passagem mais cara do Brasil!

Alerta: metrô também vai subir!

Em janeiro de 2011 entrou em vigor a nova tarifa de ônibus em São Paulo: R$ 3,00, a mais cara do Brasil. Desde julho de 1994, a passagem de ônibus já subiu 500%, frente à inflação de 231%. Mesmo com o aumento de 11,11% na tarifa, a gestão Kassab aumentará os subsídios às empresas de ônibus. Neste ano, as empresas receberam R$ 600 milhões. Para o ano que vem, o orçamento prevê R$ 743 milhões.


Indignados e diante de um transporte caótico, os paulistanos decidiram protestar. Uma série de manifestações foi convocada pelo Movimento do Passe Livre com o objetivo de repudiar este aumento abusivo.


Em 13 de janeiro, a Juventude 5 de Julho-SP se somou ao ato realizado em frente ao Teatro Municipal de São Paulo juntamente com estudantes de várias universidades e militantes de diversas organizações. A organização do ato estimou 1.000 manifestantes que, unidos pela indignação e consciência de que as justificativas dadas pela prefeitura de São Paulo sobre o aumento da passagem não passam de uma forma de enganar a população e de jogar para esta a responsabilidade de bancar as mordomias da classe empresarial responsável pelo controle do transporte paulista, foram duramente reprimidos pelas forças policiais, armadas com balas de borracha e bombas de gás lacrimogêneo. A polícia, na altura da estação República do metrô, atirou sem hesitar contra os manifestantes a fim de impedir uma nova concentração. O vídeo sobre a repressão pode ser visto na Internet, no link http://www.youtube. com/watch?v=dDOm6g2V3ds.


Cerca de 31 pessoas foram detidas até a meia-noite do mesmo dia e depois liberadas.


Cartazes rasgados, panfletos pisoteados, frustração, raiva, indignação, vozes caladas foram os resultados não só de uma polícia opressora, mas também de um sistema onde não há democracia e liberdade de expressão para a grande maioria da população, que sofre com a exploração e descaso de um governo que só se importa em garantir o poder nas mãos da pequena parcela da classe dominante. 


Uma nova manifestação foi convocada para o dia 20 de janeiro na Avenida Paulista, na recém-nomeada  Praça do Ciclista, cujo destino era a estação Paraíso do metrô. Mais de 2 mil pessoas se concentraram e a polícia militar, que não esperava o grande número de pessoas, em sua grande parte estudantes universitários e secundaristas, teve alguma dificuldade em conter que a manifestação tomasse mais do que uma faixa da avenida. A manifestação, no entanto, cresceu ao longo de sua trajetória em muitos pontos, atraindo para si trabalhadores da região que saíram dos pontos de ônibus e ônibus parados pelo trânsito para se juntarem à marcha. A solidariedade à bandeira, mostrada mesmo pelos transeuntes que observavam da calçada, notava-se através dos gritos de apoio e palmas, um claro sinal de que o aumento abusivo da tarifa é considerado absurdo pela maioria da população, ainda mais quando somado à terrível condição em que se encontra a infra-estrutura dentro dos ônibus.


Além disso, a marcha foi marcada numa semana em que o transporte público da cidade mostrou sinais de falha e precariedade: a tarifa mais baixa e os engarrafamentos quilométricos causados pela enorme quantidade de chuva causaram diversas panes e uma superlotação perigosa da rede do metrô, que também sofrerá um aumento em sua tarifa, previsto para 14 de fevereiro de 2011.


Outros atos e manifestações estão marcados na agenda de mobilizações. O INVERTA e a J5J-SP estarão presentes nesta luta do povo contra o abuso e o descaso.

Ousar lutar, ousar vencer!
Venceremos!

J5J-SP