Coluna Pelo Mundo

Nesta edição, leia na Coluna Pelo Mundo "FMI também não crê em fim de crise econômica global", "EUA: Reforma de saúde possivelmente postergada para 2010" e "RPDC denuncia choque armado como provocação para aumentar tensões".

FMI também não crê em fim de crise econômica global


Washington - A debilidade da recuperação econômica levou o Fundo Monetário Internacional(FMI) a declarar que só poderá se cantar vitória quando seja derrotado o desemprego.

O diretor geral desse organismo, Dominique Straus-Kahn, manifestou em 11/11,preocupação porque muitos governos têm declarado o fim da recessão, mas a elevada taxa de desocupação indica o contrário.

Durante um recém celebrado Festival Internacional do Trabalho em Roma, Itália, Straus-Kahn afirmou que os efeitos negativos da crise, como o desemprego, durarão um ano.

 

EUA: Reforma de saúde possivelmente postergada para 2010


Washington -O Congresso estadunidense descumprirá com o prazo estabelecido pela Casa Branca para referendar em 2009 uma reforma nacional aos cuidados médicos, concluiu no dia 11/11 o senador democrata, Dick Durbin, de Illinois: "Não poderemos honrar a meta do presidente Barack Obama sobre o projeto de lei sobre o seguro federal de saúde", previu. Segundo correligionário do chefe de Estado com mais autoridade na Câmara alta, Durbin prevê que uma versão do programa só sairá do Senado em dezembro próximo. A emenda H.R. 3962, sob o nome oficial de Affordable Health Care for America Act, se converteria na maior extensão dos cuidados médicos dos EUA   desde a criação do Medicare há 40 anos. O plano custaria 894 bilhões de dólares em uma década e estenderia a cobertura até 36 milhões de pessoas, embora  os estadunidenses sem seguro somam 47 milhões.

 

RPDC denuncia choque armado como provocação para aumentar tensões


A República Popular Democrática da Coreia (RPDC) qualificou em 12/11 de provocação premeditada um recente choque armado entre forças navais do Norte e o Sul para aumentar as tensões na península.

Rodong Sinmun, principal jornal do país, adverte que as autoridades militares sul coreanas procuram confundir a opinião pública internacional ao apresentar esta ação de autodefesa realizada pela parte norte coreana contra uma frota de guerra da outra como um terceiro conflito armado no Mar Ocidental”.

O recente choque armado não foi um simples acontecimento acidental, mas uma provocação premeditada e deliberada dos militares sul coreanos em um esforço para aumentar as tensões na Península Coreana, destaca.

De acordo com o jornal, é um método rotineiro dos belicistas sul coreanos recorrer a uma drástica ação provocativa para frear o desenvolvimento das relações intercoreanas a cada vez que se dão sinais disso.