Social

Gripe suína e a febre por bilionários lucros

Mais um vírus ataca a humanidade. Milhares de pessoas são infectadas em poucos dias, conduzindo à morte dezenas daquelas que não tem acesso a recursos mínimos para aquisição de um remédio (controlado por gigantescas multinacionais) ou a atendimento médico adequado (também monopolizado por grupos privados). Oficialmente, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), ligada aos interesses das grandes corporações internacionais, a atual gripe suína já contagiou mais de 10 mil pessoas, sendo que mais de 90 não resistiram aos efeitos da gripe. A imensa maioria da mortandade ocorre no México, apesar de não ser oficialmente o país que mais tem casos.

Repressão policial nas favelas do Rio de Janeiro

Uma operação no Complexo de favelas de Manguinhos, que reuniu 200 homens, foi coordenada pela Delegacia de repressão a Armas e Explosivos (Drae), teve apoio da Delegacia de Roubos e furtos de automóveis (DRFA), da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), das Delegacias de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC) e de Combate as drogas (Dcod), apreendeu 4 mil pedras de crack, cocaína, 150 kg de maconha, além de estourarem um paiol de armas - 25 foram recolhidas -, recuperaram 6 carros e 42 motos roubadas, prenderem 23 suspeitos e matarem 4 homens “após intenso confronto”. O inspetor da DRFA Vagner Rodrigo de Oliveira, de 44 anos, foi baleado e levado para o Hospital Geral de Bonsucesso, onde segundo informações foi operado e esta em recuperação.