Edições do INVERTA em 2008

Há 17 anos o Jornal Inverta trava a dura batalha das idéias, fazendo uma contraposição à mídia burguesa, empenhada em sua tarefa de desinformar. Mantemos essa honrosa tarefa de reafirmar a cada exemplar que a História não acabou com o fim da experiência da URSS e do Leste Europeu; que a luta contra a opressão em todo mundo segue viva e lateja em cada manifestação de revolta em todos os continentes contra o imperialismo. Levamos aos nossos leitores a realidade enfrentada por nosso povo, que continua resistindo. Como termina mais um ano, nesta edição, selecionamos as principais notícias e as atividades realizadas pelo PCML, o MNLCN, o CEPPES e a Juventude 5 de Julho, fazendo a nossa retrospectiva de 2008. (Páginas 4, 5,1B e 2B)

Edições do INVERTA em 2008


A Primeira edição do Jornal INVERTA, em 2008, a de número 419, às vésperas de completar um ano de sua ida às bancas, em cotas de militantes e assinantes, é um exemplo do trabalho de homens, mulheres e jovens em vários estados do Brasil e no exterior, em busca de levar, ao leitor em geral e aos militantes sociais e comunistas revolucionários, em furar o bloqueio ideológico a que os povos são submetidos pela máquina nazi-fascista da imprensa burguesa.

Desta parte de Nossa América, partimos há mais de 17 anos nessa honrosa tarefa de reafirmar a cada exemplar que a História não acabou, com o fim da experiência magnífica da URSS e do Leste Europeu; que a luta contra a opressão em todo mundo segue viva e lateja a cada manifestação de revolta em todos os continentes contra o modo de produção hegemônico, o capitalista em sua fase superior, o imperialismo. Reafirmamos que a alternativa a essa sociedade de exclusão e de tormento do trabalho à classe fecunda existente, o proletariado, é a sociedade comunista, e divulgamos a contribuição para humanidade aportada pelas experiências dos países socialistas, além de uma abordagem científica da crise por que passa o Capital e as tentativas dos ideólogos burgueses em defender e embelezar, o que é indefensável e está putrefato, o moribundo sistema capitalista, como pode se comprovar pela crise estrutural do sistema em que “atola-se” os Estados Unidos, o gigante dos pés de barro.

Em sua manchete “Movimento dos Povos Indígenas do Cerrado lança Carta-Denúncia”, o INVERTA divulga a I Assembléia da MOPIC (Mobilização dos Povos Indígenas do Cerrado) realizada na Aldeia Cachoeirinhas, terra dos Terena, no Cerrado, no Mato Grosso do Sul (MS), com a participação de dezenas de povos indígenas de todo o país. Na aldeia foram realizados profundos debates acerca das reflexões sobre as estratégias de lutas dos povos indígenas para a retomada de seus territórios tradicionais e direitos, contra a ameaça de transformar o Cerrado numa grande plantação de cana para o biocombustível. A perseguição e assassinato de lideranças indígenas foi um dos pontos cruciais do evento. Em 2007, 29 lideranças foram assassinadas, como o líder Kaiwoá-Guarani, Ortiz Lopes, no dia 8/7/2007. Durante a abertura do encontro foi lançada a Revista Tricontinental, da OSPAAAL em português, acompanhada de exposição de cartazes da Organização de Solidariedade entre o Povos da Ásia, África e América Latina (OSPAAAL) fundada por Ernesto Che Guevara. A Coordenadora Continental Bolivariana (CCB) também participou da assembléia.

O INVERTA divulgou o lançamento da Revista Tricontinental em português e da Mensagem de Che Guevara à Assembléia da Tricontinental em abril de 1967, editadas pela Editora INVERTA, nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Ceará, Rio Grande do Sul e no Mato Grosso do Sul, além da Mostra Che 40 anos, pela primeira vez no Brasil, com cartazes do guerrilheiro heróico e da luta revolucionária nos continentes asiático, africano e Latino-americano. A atividade contou com a presença do secretário-geral da OSPAAAL, Alfonso Fraga, entrevistado em nosso especial.

Destacamos também a libertação unilateral por parte das FARC-EP de prisioneiros de guerra na Colômbia, em agradecimento a intermediação e luta pelo Acordo Humanitário de troca de prisioneiros, entre o governo colombiano e a guerrilha, levada a cabo pelo presidente venezuelano, Hugo Chávez e a senadora colombiana Piedad Córdoba.

No ano em que comemoramos o centenário do arquiteto comunista Oscar Niemeyer, publicamos o comunicado do Movimento Revolucionário Túpac Amaru, que reafirma continua firme na luta pela Revolução Socialista, 11 anos após a ocupação da residência do embaixador do Japão em Lima. A seguir destacamos algumas matérias divulgadas no periódico INVERTA ao longo de 2008:

420 - Oscar Niemeyer cria projeto de sede para Casa das Américas no Brasil

Oscar Niemeyer apresentou o projeto da versão brasileira das Casa das Américas em seu escritório com a presença de diplomatas da Venezuela, Bolívia, representantes da prefeitura de Nova Friburgo, da Câmara de Vereadores de NF, além de diretores do Centro Cultura Casa das Américas e de sua presidente, Margarida Meressi.

Editorial: Aos que lutam e aos que choram: Viva a revolução boliviana; a carestia mundial dos alimentos; Reflexões do Comandante Fidel.

421 - Lucro dos bancos é astronômico: nunca os bandos tiveram tantos lucros como agora e são eles que ditam a política econômica do governo Lula. O setor financeiro conseguiu um ganho de mais de duas vezes o que era arrecadado com a CPMF a cada ano, além de cobrar tarifas mais altas junto aos seus clientes, os bancos arrocham cada vez mais os bancários com menores salários e maior desemprego com a informatização do setor.

Editorial: O PCML e o II Congresso da Coordenadora Continental Bolivariana: A preparação para o II Congresso da CCB no Equador.

Mortalidade infantil é maior entre índios e negros: Relatório da UNICEF, no Brasil, indica que a mortalidade em crianças de mães negras e indígenas é, respectivamente 40% e 48% maior que em filhos de mães brancas, numa denúncia social que aponta para a pobreza.

Comunicado da líder mapuche Patrícia Troncoso em greve de fome em protesto e exigência das demandas polótocas do povo Mapuche.


422 - Rio Neoliberal vive flagelo da dengue: a epidemia que viveu a cidade do Rio de Janeiro, em que milhares foram contaminados e centenas morreram, é exemplo de como são assassinas as políticas neoliberais, de corte nas verbas para a prevenção da doença e a eliminação dos mosquitos. Hospitais lotados e mortos nas emergências, vítimas do descaso das autoridades asseclas das políticas neoliberais.

Editorial: Sobre o processo eleitoral no Brasil e a situação da América Latina.

Nota em desagravo às FARC, ao Equador e à Venezuela (Atentar contra o Processo de Paz na Colômbia é atentar contra a Humanidade). Nota condena o crime de guerra cometido pelo governo colombiano os trágicos acontecimentos que levaram à invasão por parte de uma força-tarefa integrada por agentes da repressão colombianos, europeus e estadunidenses ao acampamento das FARC na fronteira do Equador e a Colômbia, levando ao extermínio de seis guerrilheiros, dentre eles o comandante Raúl Reyes, então à frente das negociações de Paz e da troca humanitária de prisioneiros de guerra.

423 - Mortes no trabalho superam guerra com 2,2 milhões de pessoas: relatório da Organização Internacional do Trabalho calcula que esse é o número de vítimas no mundo devido a acidentes e doenças relacionadas ao trabalho. A cada ano 270 milhões de acidentes fatais. No Brasil, 2.707 mortos, lideram o “placar” os setores de serviços, seguidos pela indústria de alimentos e a construção civil.

Entrevista exclusiva com Ivá n Márquez, FARC-EP: “Nosso Objetivo é a paz”, em que o membro do Secretariado do Estado Maior e Central das FARC-EP fala sobre a importância da troca humanitária e as negociações de paz e a atitude antipatriótica e criminosa do governo Uribe, reafirmando o objetivo de “construir um novo país, onde haja a verdadeira democracia, em que o soberano seja o povo, e que se acabe com a injustiça que está matando os assalariados de fome e produzindo lucros para as empresas e investidores internacionais.

O Manifesto do Primeiro de Maio de 2008, uma análise profunda da luta histórica dos trabalhadores em todo o mundo e no Brasil e América Latina; a 190º aniversário de Marx é debate em Curitiba; pela retirada das tropas brasileiras no Haiti.; a vitória de Fernando Lugo no Paraguai.

424 - O retorno da IV Frota de Intervenção dos EUA: uma mensagem para a AL. A reativação da IV Frota provoca repúdio nos líderes latino-americanos, depois de 58 anos de sua desativação ela terá sob sua responsabilidade 30 países do continente. A Cooperativa INVERTA assina acordo com a Agência de Notícias Latino-Americana (Prensa Latina) durante encontro realizado no Rio com a presença de Frank González, presidente da PL. O INVERTA denunciou mais essa demonstração de ingerência estadunidense no governo de nações soberanas da América Latina sob pretexto de combater o terrorismo e as atividades ilícitas, como o narcotráfico.

Editorial: Camaradas, todos ao trabalho em nossa campanha de finanças. O artigo Juazeiro do Norte, entre a tuberculose e a hanseníase, denuncia o caos na saúde pública deste município brasileiro. De Cuba vem o exemplo de solidariedade, onde jovens filhos e filhas da classe operária de toda América Latina, Caribe, África e até dos EUA têm a oportunidade de cursarem gratuitamente a faculdade de medicina na Escola Latino-americana de Medicina (ELAM).

425 - Crise alimentar atinge 859 milhões de seres humanos: O aumento nos preços dos produtos alimentícios afetam diretamente 37 países da África, Ásia e América Latina, um contingente de pelo menos 859 milhões de pessoas. Este é mais um dos resultados das políticas destrutivas do enfraquecimento da produção nacional de alimentos substituída pela produção de cultivos comerciais e, principalmente, para a produção de biocombustíveis. A Juventude 5 de Julho presta homenagem aos que lutaram no 5 de Julho de 1922, 1924 e 1935. O ato foi realizado no Forte de Copacabana palco dos acontecimentos históricos protagonizados pelos 18 do Forte, em 5 de Julho de 1922.  Ato de protesto lembra 1° ano da chacina cometida pelo braço armado do Estado no morro do Alemão-RJ, que matou pelo menos 19 pessoas. O Grupo Tortura Nunca Mais luta há 23 anos pela vida, contra a tortura e o extermínio. Nessa edição entrevistamos a presidente do GTNM-RJ, a companheira Cecília Coimbra, quando conversamos sobre a política de criminalização da pobreza que grasse em todo o país e no estado do RJ e município, também recorremos sobre o treinamento degradante ao qual os militares são submetidos, relacionando-os com episódios recentes no Rio. A luta antiterrorista dos 5 Heróis Cubanos foi destaca com a entrevista concedida ao INVERTA de Elisabeth Palmeiro, esposa de Ramón Labañino, um dos detidos ilegalmente em território estadunidense há mais de 10 anos. Uma das tarefas urgentes a serem feitas pela libertação é campanha contra o silêncio que o governo dos EUA impõe ao mundo.

426 - Sem arroz e feijão não dá: Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que apenas 10,7% da produção brasileira é de arroz e feijão, produtos-base da alimentação da população e 82,4% está destinada a produção de soja e de milho, direcionados à exportação. Essa escolha contribui e muito para o alto preços do feijão, que foi lá pra cima. O caso Dantas-Nahas: os criminosos de colarinho “super-branco” roubaram muito dos cofres públicos, e não é de agora, já enchiam a burra de dinheiro desde o Governo de FHC. A conjuntura política da Bolívia e as medidas tomadas pelo presidente Evo Morales em favor de seus cidadãos é tema da entrevista concedida pela Cônsul Geral no Rio de Janeiro, Shirley Orozco Ramírez, em visita à sede do Jornal INVERTA. Nesse número entrevistamos também o Dr. Gustavo Kourí, do Instituto de Medicina Tropical Pedro Kourí, sediado em Cuba, e que é referência mundial no estudo, prevenção e tratamento das doenças tropicais.

427 - EUA aprisiona o mundo: Denúncia das prisões estadunidenses localizadas em várias partes do mundo. Escracho em São Paulo lembra crimes da ditadura militar no Brasil. O protesto foi realizado em frente à sede do DOI-CODI/OBAN. O Especial traz o artigo de Karl Marx, “O Tratado Persa”, publicado em 1857, a partir da guerra anglo-persa, Marx analisa os métodos utilizados pelos exércitos regulares e irregulares no início da corrida neocolonial. As estupendas olimpíadas de Beijing encantam o mundo.

428 - 17 anos de resistência e luta!: Chama às comemorações dos 17 anos do INVERTA, 16 anos de circulação do Granma Internacional de Cuba no Brasil e 1° ano da Coordenadora Continental Bolivariana realizado na UFF no dia 27 de setembro. O artigo Estoura a Crise nos EUA divulga a concordata do Banco Lehman Brothers, um dos maiores em investimentos no país. Destaque especialíssimo para o relatório sobre as violações dos Direitos Humanos nos EUA elaborado pela República Popular da China. Cuba resiste ao açoite de ciclones em seu território.

429 - Não Vamos pagar pela orgia dos banqueiros com o capital: em meio a uma crise estrutural de proporções gigantescas o império estadunidense não cairá sozinho. Como o Brasil poderá de fato encontrar um caminho alternativo para não pagar a conta das orgias dos banqueiros? Cerca de 14 milhões de crianças estão fora da escola no Brasil.

430 - O Estado Brasileiro no Banco dos Réus: Tribunal popular composto por figuras exponenciais na luta pelos direitos humanos no Brasil, militantes sociais, no marco dos 60 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, realizado entre os dias 4 e 6/12 abordou casos de violação institucional do Estado contra o povo. Uma análise dos fatores que levaram Barack ao poder. Espetáculo “Banzo - Saga de uma etnia” homenageia Dia da Consciência Negra.