Economia

Em 2007 custos dos alimentos subiram muito para os trabalhadores brasileiros

Em abril próximo o salário mínimo deve subir em torno de 10%, passando de R$ 380 para R$ 415, mas este aumento já está sendo antecipado com a subida dos preços dos alimentos que estão cada vez mais caros. Uma pesquisa feita sobre o ano de 2007, em relação as refeições dos trabalhadores fora de casa, mostrou que em média foi gasto um total R$ 14,87 por dia ou uma alta de 11,6% no ano passado para a maioria da população que almoça fora de casa que gasta 26% do orçamento no item alimentação nesta despesa. Foi calculado o custo nas cinco regiões do Brasil, no Centro-Oeste é a mais cara (R$ 19,05), na Região Norte o custo é de R$16,48, no Nordeste fica em R$ 14,92, no Sudeste estava custando R$ 14,52 e no Sul ficou em R$ 12,68, sendo que a cidade de Porto Alegre teve o menor valor do país R$ 10,05 e São Paulo ficou em R$ 12,40 e a cidade com o maior custo R$ 21,90 foi Goiânia.

A redução da jornada de trabalho no Brasil

Vários movimentos sociais e as principais centrais sindicais brasileiras estão defendendo uma campanha nacional pela redução da jornada de trabalho de 44 horas para 40 horas semanais. Um estudo do Dieese (Departamento Intersindical de Estudos Socioeconômicos) mostrou que haverá uma abertura de postos de trabalho razoável se esta medida for implantada no Brasil.

O engodo do pagamento da dívida externa

Um relatório do Banco Central do Brasil mostrou que em janeiro de 2008 as reservas monetárias do país superaram o total de recursos da dívida externa e isso foi cantado em verso e prosa pelos economistas do governo Lula como uma grande façanha da atual administração federal. Mas vamos aos fatos que podem ser um sofisma matemático para encobrir a verdade...

A crise do crédito nos EUA afeta todo Planeta

O FED (Banco Central dos EUA) injetou US$ 200 bilhões no mercado financeiro, no início de março, para socorrer a crise de liquidez das instituições bancárias norte-americanas e isso deu uma certa euforia ao sistema acionário, mas este momento é passageiro, pois os fundamentos da economia dos EUA mostram indicadores problemáticos que estão levando o dólar a se desvalorizar em todo o mundo.