Pelo Mundo - Prensa Latina

Posada Carriles, acusado em julgamento público em Cuba; Relator do ONU verificará efeitos de glifosato no Equador; Rússia rechaça Carta Energética Européia; França: caminho à unidade ou a fragmentação

Pelo Mundo - Prensa Latina


Posada Carriles, acusado em julgamento público em Cuba


A juventude cubana iniciou no dia 14 de maio um julgamento político de dois dias contra o terrorista Luis Posada Carriles diante da negativa do governo dos Estados Unidos de julgá-lo por crimes de lesa humanidade. Trata-se do primeiro processo deste tipo na Ilha contra Posada Carriles, que foi libertado por um juiz americano, face à solicitação de extradição feita pela Venezuela.

Mais de três mil pessoas perderam a vida em Cuba e outras dois mil foram mutiladas em atos violentos organizados do território norte-americano, a partir de 1959 até a atualidade.


Relator do ONU verificará efeitos de glifosato no Equador


O relator especial das Nações Unidas Paul Hunt iniciou no dia 14/05 uma visita ao Equador para comprovar em populações do norte deste país os efeitos do lançamento aéreo do glifosato em solo colombiano. Hunt, encarregado do direito humano à saúde, estará quatro dias neste território, período durante o qual se irá à fronteira norte para verificar no local o dano causado por este agente químico.


Rússia rechaça Carta Energética Européia


A negativa russa ao controle europeu sobre suas jazidas de hidrocarbonetos tornou no dia 14/05 mais sombria a sala de espera da Cúpula Rússia-União Européia, que se celebrará no país eurasiático de 17 a 18 de maio.

Rússia rechaça a Carta Energética Européia, assegurou o representante especial presidencial para as relações com a União Européia (UE), Serguei Yastrzhmbsky, a 72 horas do início da reunião convocada para a cidade da Samara, no centro da Federação russa.


França: caminho à unidade ou a fragmentação


Sem espaço para pontos intermédios, França se encaminha no dia 7/05 para a unidade ou a fragmentação do país a partir do triunfo nas eleições presidenciais do candidato conservador, Nicolás Sarkozy. Os distúrbios em numerosas cidades no dia 6/05 à noite, com a queima de automóveis, ativaram novamente os sinais de alarme sobre o rechaço ao representante da direita por parte dos setores mais oprimidos da sociedade.

O próprio primeiro secretário do Partido Socialista (PS), Francois Hollande, e outros dirigentes de organizações opositoras, fizeram um chamado à calma e pediram à população concentrar-se nas eleições legislativas de junho de 2007.


Prensa Latina