Cultura

A sonoridade de Lívia Dias

A soprano carioca Lívia Dias, formada pela Escola de Música da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), falou ao Jornal Inverta sobre sua carreira artística. Lívia foi uma das semifinalistas de um concurso de música clássica na China, cantada em vários idiomas, inclusive o chinês. Emocionada com a entrevista, Lívia cantou uma parte da música que fez parte do seu repertório em mandarim (chinês). Agradeceu ainda o apoio de dois mestres que ajudaram na sua formação musical: os professores Inácio de Nonno, da UFRJ, com quem Lívia estudou durante seis anos, e atualmente ela se aperfeiçoa com a professora russa, Elena Konstantinovla.

Temperando o forró com alegria

Formado por Adriano, Anderson e Charles, o grupo de forró Tempero da Serra representa mais uma atração cultural da cidade serrana de Nova Friburgo. O INVERTA foi recebido na casa de um dos integrantes e lá tivemos uma conversa bem agradável com os músicos que, com simplicidade, talento e disposição, levam o forró e a MPB com muita irreverência, a um público que começa a crescer, tanto na bela cidade onde moram, quanto nos rincões onde levam a mistura saborosa de sua música.

Silvio Tendler é premiado no Festival de Trieste

Na atualidade, Silvio Tendler se consagra como o maior documentarista em nosso país, sem medo de errar, por suas obras-primas no mundo cinematográfico. Podemos citar alguns documentários importantes desse mestre em História e Cinema, como “Marighela - Retrato de um Guerrilheiro”; “Glauber, o filme - No Labirinto do Brasil”; “Utopia e Barbárie”, “Milton Santos”, entre outros. “Estou terminando meu longa-metragem sobre Milton Santos, o geógrafo, e depois vou fazer Utopia e Barbárie, que é um longa-metragem sobre a vida política e cultural da segunda metade do século XX para cá. Tenho também outros projetos, o do Santiago Alvarez é um deles. Minha cabeça está fervilhando de idéias esse ano”