População de Itaboraí e São Gonçalo:

 

A população de São Gonçalo e Itaboraí está revoltada com os abusos que a AMPLA, Companhia de fornecimento de energia elétrica,  vem cometendo com os moradores. A empresa está retirando antigos relógios para colocar outros que segundo a população não oferece nenhuma segurança, e a primeira marcação veio cometendo disparates abusivos.

O objetivo da empresa, segundo os moradores da região,  é primeiro  implantar o sistema de SHIPE e depois o Sistema de fornecimento elétrico eletrônico ou seja o método semelhante ao cartão telefônico. Ao acabar o cartão o consumidor terá automaticamente seu fornecimento de energia cortado.

Os moradores estão resistindo através de um movimento que está sendo organizado pela Associação de moradores do Apolo III e adjacência e já faz parte do movimento o  Centro Cultural Comunitário Charle Ricardo e a  União de Negros Pela Igualdade....

João Barbosa da Silva representando a comunidade foi ao Ministério de Energia no DF para tentar obter informações de qual era o planejamento nacional de fornecimento de energia e ao mesmo tempo levar as reclamações da comunidade. João Barbosa  foi recebido pelo diretor do Departamento de Monitoramento do Sistema Elétrico Ildo Wilson Grudtner  que informou que as normas que rege o fornecimento são ampla que de forma geral a empresa está embasada nas novas normas formulada pela ANEL,  Agência Nacional de Energia Elétrica e que a população depois de implantado o sistema tem dois anos para reclamar, as normas determinas que as empresas tem que oferecer segurança a comunidade e que se isso não está ocorrendo a população deve recorrer a ANATEL.

Os moradores da região se reuniram em assembléia no dia 10 para tomar medidas contra o abuso que vem sofrendo. Nas várias intervenções mostraram as contas de luz que vieram  com o novo relógio de R$15,00  as contas passaram para cerca de R$ 200,00 ate mais. E   resolveram não permitir mas que a AMPLA tire os antigos relógios e nem irão pagar as contas ate mesmo porque não tem condições a região foi classificada de baixa renda. E irão no próximo dia 21 as 10 horas fazer manifestação na porta da AMPLA.

O presidente  da União de Negros pela Igualdade e apresentador do programa Comunidade em Alerta de São Gonçalo, Silvio Henrique, esclareceu sobre esse sistema “o SHIPE é um inicio para o novo sistema de cobrança eletrônico. Esse projeto foi colocado em 1994 na Inglaterra, é um sistema pré pago algumas concessionárias estão tentando implementar esta idéia aqui no Brasil. Em Goiás são 50 casas há 5 anos em sistema de experiência, elas aceitaram ser cobaia. Em Tocantins também está sendo implementado o sistema em forma de experiência . A AMPLA está implementando o sistema de mais arrecadação nós não recebemos notificação perguntando se nós queríamos este sistema”

Na intervenção de João Barbosa do Centro  Comunitário Cultural Charles Ricardo disse que a política neoliberal é uma política perversa a primeira coisa que a AMPLA fez com a omissão da ANAEL  mandou tirar os relógios que estavam  funcionando e deixaram toda a fiação solta deixou a população ao perigo . O governo é neoliberal e não está se incomodando para o que acontece com a população pobre. A ANAEL  permite a AMPLA fazer da população de cobaia para efeito de faturamento. Esta ação causa danos físicos, morais e econômico e desprovido de justiça, ‘e a violência urbana  E preciso que cada um  de nós tenha consciência do que estamos passando e busquemos avançar neste processo de luta”.

O INVERTA também foi dar seu apoio aos moradores  e ouviu suas  reivindicações.

Dona Maria “eles vieram tirar meu poste eu disse tire a mão daí, o relógio e o poste é meu se eu paguei é meu na hora em que agente faz uma besteira nos chamam de bandidos de moradores de morro de favelados.... porque que tenho que pagar essa m... minha casa é um quarto, não tenho trabalho não tenho carteira assinada vou pagar com que?”

Rosemeri moradora da rua Arnaldo Gama desabafou “Leonel Brizola botou a luz para agente em 82 agora vem toda essa cachorrada trocar a nossa luz, eu assinei porque a moça falou comigo se eu não assinasse eles iam tirar meu relógio”.

Maria de Fátima “eu não tenho condições mesmo de pagar, só tenho uma geladeira velha minha casa nem banheiro tem uma  conta de quase R$ 80,00 pra mim é muito pois não tenho salário. Trabalho na roça pra ganhar o pão de cada dia , saio de manhã e chego a noite , antes minha conta vinha R$  10,00, R$ 12,00 agora esse absurdo não tenho como pagar”.

Paulo Cesar Braga Filho representante do bairro Apolo III   e adjacência ,  além de denunciar o desmando da AMPLA também relacionou para o INVERTA outros problemas da região  “estamos passando um problema difícil em Itaboraí, as autoridades vereadores prefeitos  não estão trabalhando junto a comunidade, nossas ruas estão emburacada . Fiquei sabendo que o Vale de Marambaia e Apolo III já não pertence a Itaboraí eu gostaria que estas autoridades estivessem aqui hoje para nos informar sobre nossa divisa , gostaríamos que eles também falassem o porque do não saneamento do vale do Marambaia . Um bairro que foi incluído para ser saneado em um antigo projeto de Itaboraí. Estamos também solicitando um colégio nosso povo tem o direito de estudar estamos precisando do  jardim,  o ensino fundamental a 8 série”

Osmarina Portal.