Assuntos
che chuva cinco heróis comunismo crise do capital cuba editorial eleicoes farc haiti

Ícone PCML PCML (Br)Ícone Cooperativa Inverta Coop InvÍcone RádioRádio ícone CeppesCeppes Ícone J5JJ5J

ÍCONE RSSRSSÍcone mala diretaLista twitterTwitter

Você está aqui: Página Inicial / Edição Impressa / Edição 415 / Social / Região Nordeste vive caos na Saúde Públia

Região Nordeste vive caos na Saúde Públia

Essa matéria foi publicada na Edição 415 do Jornal Inverta, em 09/08/2007

Os estados de Pernambuco, Paraíba, Alagoas e Ceará estão enfrentando um verdadeiro caos no sistema de saúde pública com movimentos reivindicatórios dos profissionais da área. A mais nova forma de protesto dos médicos é o pedido de demissão coletiva.

Região  Nordeste vive caos na Saúde Públia


Os estados de Pernambuco, Paraíba, Alagoas e Ceará estão enfrentando um verdadeiro caos no sistema de saúde pública com movimentos reivindicatórios dos profissionais da área. A mais nova forma de protesto dos médicos é o pedido de demissão coletiva. Em Alagoas, 143 profissionais da área médica se desligaram do sistema de saúde pública após estarem em greve há mais de dois meses e na região metropolitana de Maceió todos os cinco pronto-socorros que prestam assistência ambulatorial estão fechados.

Em Pernambuco, 111 médicos pediram demissão e outros 250 profissionais entregaram cartas de intenção ao sindicato da categoria e o governo estadual pernambucano afirmou que irá mandar os casos mais graves para os estados da Paraíba e Ceará que já estão com o sistema público superlotados de doentes, segundo autoridades locais. Das três maiores emergências da capital pernambucana somente uma funcionou no último dia 2 de agosto, a unidade do Hospital da Restauração, que atendeu a todas as especialidades com o auxílio das Forças Armadas e da Polícia Militar.

Na Paraíba servidores estaduais e profissionais da saúde estão em greve desde o dia 30 de julho e com isso os hospitais de João Pessoa e de Campina Grande estão lotados e o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) da capital paraibana, que atende diariamente 150 pacientes - mais de 60% dos casos - tem o atendimento rejeitado e de acordo com o sindicato um total de 70% dos serviços estão parados.

Bento Pereira
TOMAS TURBANO
TOMAS TURBANO says:
01/11/2011 20:52

EU ADOREI ESSE SITE MT OBRIGADO MSM

Adicionar Comentário

You can add a comment by filling out the form below. Plain text formatting. Comments are moderated.