Pelo mundo

Aumentam casos de malária nas Américas, segundo OPS

O número de casos de malária aumentou em vários países das Américas em 2016 e 2017, depois de quase uma década de queda sustentada, destacou em 5/02 uma atualização epidemiológica da Organização Pan-Americana da Saúde (OPS). Segundo o relatório, em 2016 foi registrado um aumento na Colômbia, no Equador, em El Salvador, Haiti, Honduras, Nicarágua, Panamá e Venezuela, enquanto no ano passado aumentaram os casos no Brasil, no Equador, no México, na Nicarágua e na Venezuela. Entre estas nações, acrescenta o documento, Cuba e Costa Rica notificaram vários no período e Honduras registrou alguns casos em um área onde não haviam sido registrados casos recentemente. A existência de condições de vulnerabilidade e pobreza em populações que habitam áreas com presença do vetor e transmissão da doença explicam a ascensão, afirma o texto do escritório regional para as Américas da Organização Mundial de Saúde (OMS).

O estudo também oferece como explicação o predomínio de atividades trabalhistas e econômicas que aumentam o risco de exposição aos vetores (mineração, extração de produtos naturais, agricultura), bem como a ocupação não planejada do território.