Manifestação contra Serra na Bolsa do Rio

Estiveram presentes ao ato o Sindipetro-RJ, o Sindipetro- Caxias, a FUP, a FNP, a CUT, a Fist, o Levante Popular da Juventude e mais uma série de movimentos sociais e entidades da sociedade civil do Rio.

 

A Campanha “O Petróleo  Tem Que Ser Nosso” realizou no dia 28 de Agosto uma manifestação em frente a Bolsa de Valores do Rio em protesto a participação do Senador José Serra(PSDB-SP) em um Seminário sobre o Pré-Sal organizado pela Câmara de Comércio Brasil-EUA.

Estiveram presentes ao ato o Sindipetro-RJ, o Sindipetro- Caxias, a FUP, a FNP, a CUT, a Fist, o Levante Popular da Juventude e mais uma série de movimentos sociais e entidades da sociedade civil do Rio.

Na palestra de José Serra defendia o Projeto de Lei de sua autoria que tira a Petrobras como  Operadora Única de 30% do Pré-Sal e acaba com a Lei da Partilha que está sendo votada no Senado Federal.

O diretor do Sindipetro-RJ, Emanuel Cancella, afirmou que este protesto é contra a posição entreguista do Senador José Serra(PSDB-SP) que prejudica  a Petrobras e o povo brasileiro na questão do Pré-Sal.

Ele disse ainda que a corrupção na Petrobras acontece desde a Ditadura Militar de 1964 quando  Shigeaki Ueki era Ministro nos Governos Militares, mas antes a imprensa não falava sobre isso porque havia censura.

Hoje em dia se faz um grande escândalo de corrupção na “Operação Lava Jato”  sobre a Petrobras que tem o objetivo de paralisar a economia brasileira e desmoralizar a maior empresa brasileira e patrimônio da população do país.

Cancella disse ainda os trabalhadores do Brasil saberão dar uma resposta a estes ataques dos setores conservadores da nossa sociedade defendendo a Petrobras das garras do imperialismo.

“Por isso estamos aqui para protestar contra a presença de Serra e para fugir dos protestos o tucano usou o Heliporto da Bolsa de Valores do Rio”; esclareceu o representante do Sindipetro-RJO representante da FIST, André de Paula, defendeu a luta contra o Projeto 131 de José Serra que é a total entrega do petróleo brasileiro para as mãos das empresas estrangeiras.

Ele enfatizou que a Campanha “O Petróleo Tem Que Ser Nosso” defende uma proposta de uma Petrobrás 100% pública e sobre o controle dos trabalhadores.

Sobre a Lei de Partilha do Governo Lula em que o governo fica com 30% das áreas do Pré-Sal e cede aos consórcios internacionais os outros 70%, André de Paula, afirma que este é um projeto menos pior do que a proposta de entrega total do Pré-Sal para as multinacionais do petróleo de Serra.

Julio Cesar de Freixo Lobo