Portal INVERTA (inverta.org), leninismo na Internet

Quando criamos o INVERTA, tínhamos em mente a reflexão de Lênin sobre o papel dos meios de comunicação de massa na luta de classes vivenciada. Os meios de comunicação em massa são um produto da sociedade industrial. É a imposição de percepções e ideologias da burguesia, através da fabricação de notícias e propaganda, e seus suportes materiais, como mercadorias que são consumidas por toda a sociedade.

Portal INVERTA (inverta.org),
leninismo na Internet


Quando criamos o INVERTA, tínhamos em mente a reflexão de Lênin sobre o papel dos meios de comunicação de massa na luta de classes vivenciada. Os meios de comunicação em massa são um produto da sociedade industrial. É a imposição de percepções e ideologias da burguesia, através da fabricação de notícias e propaganda, e seus suportes materiais, como mercadorias que são consumidas por toda a sociedade.

Como todas as mercadorias, as notícias encerram também uma dupla contradição entre seu valor de uso (formar ideologias) e seu valor de troca (realizar mais valia). Como é uma mercadoria diretamente ligada à dominação constituída, ela quase sempre é subsidiada pela burguesia ou pelo estado, que injetam bilhões na manipulação de notícias, na formação de jornalistas dóceis, na criação de infra-estrutura das quais as grandes corporações se beneficiam, etc. Um exemplo é o recente caso em que o governo brasileiro salvou a Globo (leia-se repassou bilhões) da falência decorrente da má administração.

Lênin defende em “Por onde começar” que o Iskra, órgão central do partido, além de propagandeador das idéias revolucionárias entre as massas, ele deve ser também um organizador coletivo. Ou seja, construir a partir de suas próprias forças, de sua própria dinâmica, uma organização política. A organização da classe operária, essa é a principal arma que ela tem na luta para encerrar a opressão burguesa no mundo.

O INVERTA, há 17 anos aplica essa tese à realidade brasileira, tendo sido um marco importante da reorganização dos comunistas revolucionárias nas décadas após a transição da ditadura cívico-militar burguesa, para a atual ditadura cívico-midiática burguesa.

Fomos pioneiros na Internet, terreno no qual nos movimentamos há mais de dez anos, organizando um dos primeiros sites de esquerda do Brasil a entrar no ar. Hoje, temos a tarefa de dar um salto de qualidade em nossa atuação através deste suporte que é a rede mundial de computadores. Nosso Portal também deve ser encarado como um organizador coletivo.

O Portal INVERTA, diversas vezes reformulado, atualmente encontra-se em constante desenvolvimento. Todos os programas que rodam em nosso servidor são Software Livre, isto é, programas que são um patrimônio comum da humanidade, produzidos e apropriados de uma forma social, não privada, mesmo dentro do sistema capitalista (algo semelhante ao que ocorre com as cooperativas). Essa opção pelo Software Livre nos permite conhecer as rotinas dos programas que utilizamos, o que aumenta o grau de segurança de nosso trabalho.

Hoje nosso Portal é projetado de forma a aproveitar ao máximo o trabalho colaborativo, no contexto de descentralização das responsabilidades sobre as tarefas individuais perante o partido, como está na “Carta a um Camarada”. Ou seja, por mais que tenhamos diretivas centrais únicas, que representam a maioria do partido, a aplicação das mesmas é de responsabilidade de cada organismo local do partido.

Assim, cada organismo local do partido, ou mesmo cada círculo de simpatizantes, pode e deve contribuir com a produção de conteúdo para o site. Seja através de matérias, músicas, vídeos, charges, etc. Para organizar esse fluxo de informação, além da direção prática de cada organismo local, estão as diretivas da redação do Jornal.

Nosso portal hoje recebe uma média de 30.000 mil visitantes distintos por mês, sem contar os picos de audiência, como quando exibimos a entrevista realizada com o comandante Iván Marquez, feita por Aluísio Bevilaqua nas montanhas da Colômbia. Temos milhares de e-mails cadastrados que recebem nosso boletim informativo. Contamos com o programa de rádio Voz Rebelde, da J5J na rádio da agência petroleira, que é reproduzido no portal.

Também pretendemos interagir cada vez mais com os leitores, através da publicação de comentários, da realização de enquetes, do recebimento de trabalhos, enfim tudo que possa nos aproximar cada vez mais. Em um certo sentido, no caso das notícias, deve-se diminuir cada vez mais as distinções entre produtores e consumidores da mesma. Almejamos uma rede em que cada trabalhador, cada comissão de fábrica, cada comitê contra o neoliberalismo, sejam produtores das notícias, que depois serão consumidas pela mesma classe operária. Essa é a garantia de uma comunicação mais objetiva, sem as manipulações burguesas, do povo para o povo.

Assim, proximamente, introduziremos diversas novidades, das quais estão no ar apenas algumas demonstrações. O potencial de organização e exibição de conteúdo é enorme, e ainda avançaremos muito. Principalmente agora que conseguimos reunir uma equipe de camaradas programadores, que fornecerá a base técnica para esta iniciativa. Um dos desafios será colocar no ar, retroativamente, o conteúdo das edições mais antigas do Jornal. É colaborar e aguardar para ver.

 

Equipe Portal INVERTA

 

Carlos Augusto Bastos da Silva
Carlos Augusto Bastos da Silva disse:
13/01/2011 17h31
Companheiros! Quero que saibam que fico muito felíz ao ler os noticiários do jornal Inverta. É uma formação para mim. Cordialmente, Carlos.
Comentários foram desativados.