Niemeyer cria projeto de sede para Casa das Américas no Brasil

Rio de Janeiro - O centenário arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer apresentou o projeto do que será a sede da versão brasileira da Casa das Américas, que a partir do dia 12/01 tomou corpo.

Niemeyer cria projeto de sede para Casa das Américas no Brasil


Rio de Janeiro - O centenário arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer apresentou o projeto do que será a sede da versão brasileira da Casa das Américas, que a partir do dia 12/01 tomou corpo.

Trata-se de um conjunto de estruturas futuristas que conformam um memorial com amplos salões, quartos de estudo e biblioteca e um hotel para festivais e convenções, explicou Niemeyer.

Será edificado em Nova Friburgo, cidade da Serra Fluminense, localizada a 160 quilômetros ao nordeste do Rio de Janeiro, afirmou o arquiteto Jair Varela.

O diretor de desenvolvimento e coordenação de projetos do escritório de Niemeyer assegurou à Prensa Latina que, pelas características do terreno e do espaço disponível, a obra será um desafio.

A instituição cultural seguirá o exemplo da veterana Casa das Américas, criada em La Havana ao início da Revolução Cubana, que já se aproxima de meio século de existência, informou Aluisio Bevilaqua.

É para romper o bloqueio de Washington contra Cuba que estendemos até aqui essa iniciativa encaminhada a fazer festivais de manifestações culturais de todos os povos da América, disse.

O promotor da idéia e também presidente da Cooperativa de Trabalhadores em Serviços Editoriais e Noticiosos INVERTA afirmou que esta será no Brasil a sede dos povos de América Latina e que terá convênios com fundações como a Guayasamín, do Equador, e fará festivais de cinema, teatro, literatura, poesia e outras manifestações artísticas da região.

Considerou significativo que esta iniciativa tenha contado com o apoio de Niemeyer, figura relevante da arquitetura, da arte e a cultura, lutador pela integração, a unidade e a paz entre os povos.

Na apresentação do projeto arquitetônico, feita pelo próprio Niemeyer, estiveram presentes os cônsules da Venezuela, Grisete Corvo, e da Bolívia, Shirley Orozco e Franz Mariscol Mendivi.

Também o secretário de imprensa da prefeitura de Nova Friburgo, Paulo Costa, e o vereador, Roberto Wormeliger, consideraram essa obra importante para o desenvolvimento do turismo.


Rolando de la Ribera Blanco

Prensa Latina


Niemeyer fala sobre sua contribuição para

o projeto da Casa das Américas:


Minha tarefa foi mais modesta enviei o programa do hotel, da parte cultural do hotel com as salas de aula, uma biblioteca e o auditório e do outro lado uma parte esportiva com uma piscina e é o que eu posso colaborar e entregar este projeto. A luta agora é essa mesmo, de defender a América Latina contra o império do Bush e para isso estamos reunidos aqui. É uma luta necessária de estarmos juntos e bem ou mal o nosso presidente apóia e a figura do Chávez, do Fidel Castro, que possa, assim como Cuba, que é vitoriosa, se impor em toda a América Latina depois de tanta luta. Com vocês eu quero colaborar e em nome desta luta da América Latina eu agradeço e estarei sempre ao lado e de vocês”.


Casa das Américas no Brasil: um breve histórico


O editor do Jornal Inverta, Aluisio Bevilaqua:

“Em 1996 fizemos uma reunião com o Niemeyer e mais uma série de intelectuais, discutíamos a possibilidade de construir aqui no Brasil a Casa das Américas, mas em virtude de algumas diferenças não foi possível dar continuidade ao processo. Quem esteve presente nesta reunião, também, foi o sub-diretor da Oficina de Estado de Cuba, Juán Valdez Pinto. Ao longo deste tempo trabalhamos com essa possibilidade, que tomou corpo a partir de 2000, em Friburgo. Em 2004 foi fundado um núcleo da Casa das Américas na cidade, em uma tentativa de construir esta unidade cultural da América Latina e ter uma representação aqui no Rio, com independência para simbolizar a unidade do povo. Chegamos ao programa depois de conversarmos no lançamento da Coordenadora Continental Bolivariana aqui no Brasil, que ocorreu no IV Seminário do Jornal Inverta em que estiveram presentes representantes do Parlatino, da Comissão de Ecologia e Turismo do Parlatino, de Cuba, da OSPAAAL, do Granma e também da Venezuela, que foi o cônsul de São Paulo e o Embaixador da Bolívia que veio de Brasília, o representante da República Dominicana, houve um grupo muito grande de representações da América Latina neste evento. A partir daí a idéia da construção da Casa das Américas se tornou mais presente e se formulou um programa do que deveria ser esta Casa das Américas.

(...) Faremos a apresentação formal do projeto para termos os recursos para que possamos levar adiante e tornar esta idéia uma realidade aqui no Brasil como um marco de iniciativa que represente esta nova visão da América Latina, que começa a crescer em toda a região.

Oscar Niemeyer, sempre, apesar de ser uma pessoa que supera todas as expectativas, quando se pensa que ele vai descansar ele já está com outro projeto em vista. Quero falar também sobre a indicação do engenheiro Jair para o acompanhamento do projeto com os cálculos e de estar há anos junto de Niemeyer na batalha e que tem uma grande experiência .”


Margarida Meressi, presidente do Centro Cultural Casa das Américas:

“Nós do Centro Cultural Casa das Américas gostaríamos de agradecer o projeto e a figura humana que é Oscar Niemeyer em proporcionar este projeto que é tão importante para os países da América Latina, que são nossos irmãos na parte cultural e na parte humana também e queremos agradecer este encontro.”


Grisete Corvo Hidalgo, Cônsul Geral da Venezuela no Rio de Janeiro:

“Em nome da Venezuela consideramos um grande apoio do povo brasileiro e muito obrigado ao pessoal do Jornal Inverta.”

Shirley Orozco Ramirez, Cônsul Geral da Bolívia no Rio de Janeiro:

“É importante que uma figura como Oscar Niemeyer tenha apoiado está iniciativa, que é cultural e política, a qual nós almejamos há bastante tempo, que é uma América unida e altiva, que é a luta pela união de seus povos e sem imposições de governos e que possa ser apoiada por uma figura tão comprometida com a cultura e com a luta como Oscar Niemeyer.”


Paulo Costa, secretário de imprensa da prefeitura de Nova Friburgo:

“Eu também em nome da prefeitura de Nova Friburgo só tenho a agradecer esta força cultural e política e de abrigar o projeto do Oscar Niemeyer, que não somente por ser um excepcional arquiteto, mas também como um pensador e ser humano e pelo que ele representa para todas as pessoas que alimentam um ideal de uma sociedade livre que tenha igualdade de oportunidade para todos. Niemeyer para mim não é apenas um grande arquiteto, mas um exemplo humano raríssimo de integridade e de fidelidade a um ideal, assim como de simplicidade de quem teve o prazer de conhece-lo pessoalmente e estou mais encantado do que antes.”

Roberto Wermellinger, vereador de Nova Friburgo:

“Nós temos uma grande referência da arquitetura de nossa cidade, que é um pequeno hotel construído por Lúcio Costa, que é para nós muito importante e gostaríamos que fosse mais visitado. E neste momento importante para Nova Friburgo que são duas vertentes, é para nossa cidade um orgulho em que um prédio é assinado por Oscar Niemeyer em Nova Friburgo que vai dar um ponto de atração turística a este empreendimento. E em segundo lugar, e mais importante, que é fazer a integração da América Latina para que a gente possa promover com essas populações e com esses povos, com as etnias, com as diferenças e todas com a mesma responsabilidades de se construir como nações independentes e altivas e de dar aos seus povos uma melhor condição de vida e essa unidade no campo da cultura, da educação, da informação, de debate, de discussões, assim como no esporte e isso vai ser muito rico para Nova Friburgo, para o Brasil e para a América Latina. Nossa cidade tem muito a agradecer esta iniciativa da Casa das Américas, é um grande presente que Oscar Niemeyer dá a Nova Friburgo com a assinatura deste projeto, é uma grande honra para nós e em nome do povo de Nova Friburgo, como vereador agradeço esta grande idéia que está acontecendo agora.”


Marina Machado, diretora do Centro Cultural Casa das Américas:

“Uma coisa que eu acrescentaria como representante do Centro Cultural Casa das Américas é que é uma honra este momento de integração latino-americana e que cresce a unidade da região a gente poder ter um projeto de Oscar Niemeyer para poder se juntar a iniciativas como a Coordenadora Continental Bolivariana, como a ALBA, que é uma integração e ao mesmo tempo uma forma de defesa dos processos que estão acontecendo em nossa América, finalmente chegamos em um processo histórico em que nossos povos possam perceber que são fortes por que são só um e nosso dever histórico é contribuir culturalmente com um espaço de defesa dos processos de libertação que estão acontecendo na América Latina hoje, concluiu Marina.”


Lúcio Fernando e Gilka Sabino