internacional-debate

Disputa internacional no cenário sobre os direitos humanos

Decisões internacionais mostraram uma queda de braço sobre a questão dos DH no mundo, uma delas foi a premiação do Nobel da Paz 2018 para dois defensores da luta contra a violência de gênero, o médico Denis Mukwege, que tratou mais de 30 mil vítimas da violência sexual no Congo, e a ativista Nadia Murad, sobrevivente da escravidão do Estado Islâmico no Iraque. Outro caso que chamou a atenção foi a decisão da Corte Interamericana de Direitos Humanos, condenou o Brasil pela morte sob tortura de Vladimir Herzog na Ditadura Militar.

É HORA DE UNIR AS MENTES E CORAÇÕES PELAS MUDANÇAS!*

Muito se tem dito que momentos de crise são momentos alvissareiros de mudanças. Nesses momentos deslocam-se pensamentos, comportamentos e práticas cristalizadas, impõem-se limites e reflexão (flexionar diferente). Mas aqui é muito mais do que retórica e repetição. O que temos vivido e assistido no Brasil desde 2014 (“um ano para não esquecer”, como bem disse o educador Selvino Heck) tem nos inquietado, numa mistura de tensão, angústia, decepção, mas também de esperanças e renovação de energias para a luta e para as mudanças necessárias – do país, de comportamentos, atitude e de cultura política.