Juventude contra o golpe neoliberal

A Juventude 5 de Julho se faz presente nos atos de importantes cidades do país, atuando sob a inestimável orientação do PCML e contribuindo para o debate travado pelo partido através do Jornal Inverta.

 

As mobilizações que tomaram as ruas de todo o Brasil em defesa do governo Dilma e contra o golpe neoliberal contribuíram para, momentaneamente, barrar as intenções daqueles que querem o golpe. O Partido Comunista Marxista-Leninista, o Comitê de Luta Contra o Neoliberalismo e a Juventude 5 de Julho somam forças às mobilizações, exigindo respeito ao resultado legítimo das eleições e a responsabilização de Eduardo Cunha por seus crimes fiscais. Além disso, os atos assumiram pautas urgentes para o país, como a reforma política e a democratização da mídia, impulsionado pela presença cada vez maior de jovens. A participação ativa da juventude é essencial dentro do atual processo político, converte a empolgação que lhe é própria em emulação necessária para todos os militantes.

Dessa forma, a Juventude 5 de Julho se faz presente nos atos de importantes cidades do país, atuando sob a inestimável orientação do PCML e contribuindo para o debate travado pelo partido através do Jornal Inverta.

Bem como preconizou o líder da Revolução Russa, Vladimir Lênin, em discurso no III Congresso do KOMSOMOL (União da Juventude Comunista da Rússia), a principal tarefa da juventude é aprender a partir das conquistas dos trabalhadores e agir sob as contradições impostas na luta, superando as dificuldades e possibilitando a construção do socialismo.

Ora, mesmo com os limites da administração do capitalismo, a defesa do governo Dilma ante a ameaça de golpe é importantíssima, pois, apesar de todas as limitações, é fato que mais trabalhadores puderam se alimentar melhor (Brasil fora do Mapa Mundial da Fome), houve um maior ingresso dos filhos dos trabalhadores no ensino superior (3,8 milhões para 7 milhões em dez anos), o maior plano de habitação popular da nossa história com moradias um pouco mais dignas, e muitos trabalhadores foram ao médico pela primeira vez através do Programa Mais Médicos.

Além do mais, pela primeira vez um governo se compromete a usar uma riqueza nacional para saúde e educação, como ficou definido na destinação dos royalties do pré-sal. Destino diferente de outras riquezas nacionais que não retornaram para o povo depois de sua exploração, como os lucros com a extração do pau-brasil, do ouro e diamantes, da borracha e do ferro e tantas outras riquezas.

Isso é pouco para aqueles que constroem a grandeza do capital com o seu trabalho. Mas é essencial para que os trabalhadores possam se organizar melhor para lutas maiores e conquistas cada vez mais profundas. Aqui, as lições preconizadas por Lênin são urgentes: estudar com ardor a teoria revolucionária e ajudar os trabalhadores e militantes nas diferentes frentes de lutas. Estes são fatores determinantes no acúmulo teórico e prático da juventude no caminho para o socialismo.

Afinal, a grande crise do capital é estrutural e sistêmica. Cedo ou tarde as contradições próprias desse sistema se tornarão insuperáveis, fazendo-se necessária uma plataforma anti-imperialista e antioligárquica que constitua um grande movimento popular pelo socialismo. A análise sob os preceitos do marxismo-leninismo orientado pelo Partido através do Jornal Inverta aponta nesse sentido, que dessa forma podemos avançar nas condições subjetivas para a revolução, esclarecendo, organizando e mobilizando rumo a novas conquistas.

Juventude 5 de Julho – Ceará