Eleições na Associação de Moradores de Jardim Camburí em Vitória-ES

 

A Associação de Moradores de Jardim Camburí  (ACJAC)  elegerá em 20 de março de 2016 a nova diretoria para um mandato de três anos. Localizado na parte norte de Vitória, capital do Espírito Santo, o bairro Jardim Camburí, com quase 60.000 moradores, é o mais populoso de todo o estado.

Sua importância é ressaltada por sua localização junto ao parque industrial onde se situam importantíssimos complexos industriais, como o da Vale-BHP Billiton e Arcelor Mital, Porto de Tubarão e Porto de Praia Mole, que submetem os moradores do entorno à poluição continuada de gases de aciaria e pó de minério, um pó preto que polui gravemente também a praia de Camburí, que recentemente também esteve totalmente interditada para banhos pela incidência de coliformes fecais acima de níveis aceitáveis.

O bairro é também vizinho do aeroporto de Vitória, cujas obras de “modernização”, além de seguir indefinidamente aos trancos e barrancos sob denúncias de superfaturamento, tem sido em vão notificado pelo poder público pela poluição com areia varrida pelos ventos sobre os moradores.

Como se não bastasse, na área do mesmo aeroporto está localizada uma estação de tratamento de esgotos, frequentemente alvo da queixa de moradores em razão do mau cheiro que exala.

A eleição de uma associação de moradores em tal conjuntura ganha contornos ainda mais significativos para os cidadãos, a partir do momento em que a atual diretoria, que aceitou colaboração financeira da empresa Vale-BHP Billiton e que se dividiu em três chapas distintas para as eleições próximas, chapas 3, 4 e 5, esteve totalmente apática durante os últimos eventos poluidores de repercussão nacional, não sendo protagonista de qualquer ação de impacto sequer midiático contra a poluição de que são vítimas os moradores que deveria representar, a ponto de nas CPI’s (Comissões Parlamentares de Inquérito) do pó preto, aberta tanto na Assembleia Legislativa estadual, quanto na Câmara dos Vereadores de Vitória, sequer se ter cogitado a manifestação da associação, que passou ao largo, como mera espectadora.

As notícias recentes de que as empresas poluidoras sempre financiaram praticamente todos os partidos políticos no Espírito Santo, bem como de que as “CPI’s” seriam “chapa branca”, destinadas a livrarem as empresas de responsabilidade, receberam nova dose de particular alerta sobre as eleições da ACJAC (Associação Comunitária de Jardim Camburí), por conta das denúncias - entre integrantes da própria diretoria que finda seu mandato - de que a concessão e a demissão de pessoas do bairro em cargos comissionados estariam sendo usadas para a compra de apoio, pelo vereador Fabrício Gandini.

O processo eleitoral foi tumultuado pela rejeição parcial de contas da atual diretoria em assembleia geral realizada em 15 de dezembro de 2015, por convocação não assinada pelo diretor para a assembleia da entidade e até por denúncias – não apuradas pela diretoria, como seria devido, pois poderia resultar na impugnação de candidatos – de que o mesmo vereador Fabrício Gandini (PPS) teria levado moradores de fora do bairro para elegerem uma comissão eleitoral negociada previamente, em uma tentativa de evitar a aceitação de eventuais pedidos de impugnação em razão de irregularidades da atual gestão.

Alguns moradores do bairro reagiram a esse processo conturbado, pressionando para a regularização do processo eleitoral, e após obterem sucesso em reunir os interessados em formar chapas para concorrerem às eleições, resolveram organizar-se em um movimento ao qual deram o nome de “O Jardim Camburí que a Gente Quer”, que se caracteriza politicamente como uma frente de esquerda, e que vai apoiar a Chapa 1 – “Renova”, tentando liderar a população no que chamam de devolução da Associação dos Moradores aos moradores do bairro, por entenderem que há evidências claras de que o poder público e as empresas poluidoras tem se apossado do movimento popular, para manutenção da impunidade dos poluidores e manutenção de sua influência eleitoral. Nós, do Comitê de Luta Contra o Neoliberalismo e Pelo Socialismo de Vitória, devido à importância desta eleição e do processo em geral em nosso país apoiamos a chapa 1 - Renova Jardim Camorim.

Concorrerão às eleições da ACJAC, marcadas para 20 de março de 2016, na Escola Municipal Elzira Vivacqua dos Santos, localizada na Rua Italina Pereira Motta, nº 501, Jardim Camburí, as chapas encabeçadas pelos seguintes candidatos a Presidente e Vice-presidente: Chapa 1 – “Renova Jardim Camburí”,  Manoel Wanderley de Oliveira e Luciana Silveira Bernardes; Chapa 2 – “Meu jardim é Camburí, e o seu?”, José Carlos Mendonça e Manoel Braga; Chapa 3 – “Jardim Camburí que eu amo”, Aloisio José Muruce e Vander Borges dos Santos; Chapa 4 – “Unidos por Jardím Camburí”, Enock Sampaio Torres e Geraldo Fernandes Madeira; e Chapa 5 – “Por amor a Jardím Camburí”, Evandro Figueiredo Boldrine e Ana Rita Braga da Fonseca.

Sucursal INVERTA - Vitória/ES