A queda de um cartola arrogante e corrupto

Felizmente, caiu mais um cartola que desde 1989 esteve à frente da Confederação Brasileira de Futebol. Durante muitos anos, Ricardo Teixeira foi denunciado várias vezes, quando deveria, no mínimo, ser investigado por duas CPIs.

Felizmente, caiu mais um cartola que desde 1989 esteve à frente da Confederação Brasileira de Futebol. Durante muitos anos, Ricardo Teixeira foi denunciado várias vezes, quando deveria, no mínimo, ser investigado por duas CPIs.

Com a conquista do pentacampeonato na Copa de 2002, aliás, a pior Copa de todos os tempos, só superada pela Copa de 1994, realizada nos Estados Unidos, Ricardo Teixeira devido a várias acusações e denúncias e quando tudo indicava que seus dias como presidente da CBF estariam contados, conseguiu se safar. E com a simpatia do presidente Lula, Ricardo Teixeira ainda foi beneficiado com a escolha do Brasil, em 2007, como sede da Copa do Mundo de 2014, aliás, uma escolha demagógica e apressada.

E tudo indicava que Ricardo Teixeira seguiria os passos de seu sogro João Havelange, eleito em 1974 para presidir a FIFA, quando foi substituído pelo suiço Joseph Blatter. O novo presidente da FIFA chegou, na época, a ser denunciado pelo então presidente da UEFA, o sueco Lennart Johansson por ter comprado voto do presidente da Federação de Futebol da Somália, Mohiadin Hassan por cerca de 100.000 dólares.. Segundo informações divulgadas na época, outros dirigentes de federações também receberam dinheiro, na véspera da eleição, para votarem em Blatter.

Enquanto isso, é simplesmente inaceitável jogadores de futebol serem vendidos por quantias que dariam para matar a fome de todo o Nordeste. Juca Chaves tinha toda a razão quando afirmava, lá pelos anos 60, que o futebol era o ganha-pão da imprensa. Mas mais inaceitável e revoltante ainda é ver os meios de comunicação tratarem delinquentes como George “Baby” Bush, Fernando Henrique, Berlusconi, Sarkozy, Tony Blair, Álvaro Uribe como estadistas. E, anteriormente, Demóstenes Torres como a reserva moral do Senado Federal, principalmente, quando essa figura sinistra e corrupta usava outro  delinquente,  escroque e corrupto o senador Expedito Torres  (senador sem um voto que de tão corrupto, já teve seu mandato cassado) para atacar os anistiados, vítimas dos bandidos civis e fardados, que assaltaram o poder e os cofres públicos, derrubando um governo legalmente constituído, a serviço de  uma potência estrangeira.

Mas mesmo com as CPIs impedidas de tornar uma realidade um processo judicial na Suíça, quando se reuniram provas convincentes de que o presidente da CBF, juntamente com seu sogro, João Havelange, teria recebido propina da multinacional ISL. Segundo informações, o Ministério Público do Distrito Federal aceitou denúncias contra a empresa Ailanto, vinculada a Teixeira por ter se apoderado da quantia de 1,1 milhão de reais da promoção da partida, entre as seleções brasileira e portuguesa, realizada em 2008, em Portugal.

O futebol no mundo tornou-se um grande negócio. A intromissão das empresas multinacionais nos assuntos internos do futebol, o sistema neoliberal, a presença dos chamados empresários, a atuação desastrada de vários cartolas tais como Eurico Miranda, Caixa D’água, Kleber Leite, Márcio Braga, Farah, Castor de Andrade e muitos outros são os principais motivos pela crise econômica, que atravessa o futebol brasileiro, hoje, grande exportador de jovens promissores para o continente europeu, para o mundo árabe e, até mesmo, para o continente asiático.
Quando a juventude atual busca como ídolos, jogadores de futebol, atores, cantores, é porque perderam a perspectiva de uma vida digna, de viver num país justo, soberano e independente de verdade.

Os 21 anos do nazimilitarismo, ao silenciar uma juventude brilhante, inteligente, corajosa, teve como consequência esta péssima representação que temos hoje em dia, nas câmaras municipais, nas assembleias legislativas, nas prefeituras, nos governos estaduais, na Câmara Federal, no Senado. Isso sem contar com o Poder Judiciário, que se tornou um covil de bandidos togados.

Com o monopólio das comunicações, o processo de alienação é terrível e está contribuindo para a criação de uma geração apática, alienada, despolitizada, displicente, medíocre sem a menor noção do que seja um ato de solidariedade.

E com a falta de perspectiva, os jovens partem para a violência quer nos estádios ou em vários logradouros públicos agredindo homossexuais, negros, população de rua, que põe em cheque aquele mito de que o povo brasileiro é um povo pacífico e ordeiro, quando na verdade, o dia a dia, demonstra ser um povo violento.

De qualquer maneira, o futebol brasileiro, aos trancos e barrancos, tem se livrado de figuras sinistras, embora ainda falte muito para uma limpeza total, começando por Ricardo Teixeira.


Outras figuras nocivas ao futebol são os chamados empresários que atuam aqui e lá fora. Espertinhos, ficam ricos da noite para o dia à custa dos clubes e jogadores de futebol. Acho que deveria haver uma CPI para investigar, profundamente, a atuação de empresários no futebol brasileiro.

A corrupção no futebol não está fácil. Aliás, não é só na CBF que existe a necessidade de uma faxina total a começar por Ricardo Teixeira que acaba de renunciar. O presidente da FIFA, Joseph Blatter também deveria ser posto pra fora da entidade de grau superior, para o bem do futebol mundial.

É profundamente lamentável que o futebol sendo um esporte coletivo, seja uma categoria tão desunida. Na verdade, o individualismo predomina. A grande maioria dos jogadores, que recebe altíssimos salários, só pensa neles mesmos. Atualmente, o futebol é um grande comércio.

Outra coisa que nem todos os aficionados do futebol sabem é que só as grandes vedetes têm espaço na mídia. A grande maioria ganha mal e, além disso, os jogadores não prestigiam a sua organização de classe, que é o Sindicato. Resultado: jogadores talentosos, verdadeiros craques como Rubens e Jadir (Flamengo), Garrincha, Jorge Mendonça. Paulinho (centroavante do Botafogo), Ipojucan (Vasco e Portuguesa) e outros morreram na miséria. Não existe a menor solidariedade na categoria.

Com a entrada das multinacionais no ramo, o futebol se transformou num grande negócio e num bem de poucos. Grandes negócios com as transferências para o exterior e os clubes não só brasileiros cada vez mais endividados. Os grandes clubes brasileiros Vasco, Corinthians, Palmeiras, Botafogo, São Paulo devem milhões ao INSS. Na década passada, predominavam as estrelas de Ronaldo, Ronaldinho, David Beckham, Zidane, Figo, para citarmos apenas alguns exemplos. E hoje em dia, Messi, Ibrahimnovic, Inersta, Xavi, Marcelo, Cristiano Ronaldo, Robinho, Roben e outros. Aqui no Brasil, a grande revelação do Santos, Neimar, com apenas 20 anos, já percebe mais de 3 milhões de reais mensais entre salário e publicidade. É incrível, mas chegamos a uma situação que jogadores de futebol são “vendidos” por quantias que dariam para matar a fome de todo o Nordeste. Isso é o que se pode também chamar de concentração de renda.

Vejamos com o que acontece com a concentração de renda também no mundo do futebol. Apenas 3,7 por cento dos jogadores profissionais, relacionados na CBF recebeu mais de 20 salários mínimos no ano de 1999, ou seja, apenas 765 dos 20.496 jogadores registrados na entidade, ganhariam mais de 2.720 reais mensais, segundo o pesquisador Sérgio Rangel.


No fundo, a situação da grande maioria dos jogadores de futebol, aqui no Brasil, principalmente dos chamados clubes pequenos, não é diferente de outros trabalhadores. Vivemos uma época em que a mediocridade avança em todos os campos. Falsos líderes, artistas, atletas são fabricados pela imprensa e pelas grandes empresas. Na verdade, algumas “estrelas” não passam de uma grande mentira.

Até hoje, não deu para entender a complacência do governo do presidente Lula com Ricardo Teixeira. Por ocasião da derrota da seleção brasileira na partida contra a França, Lula ligou para Ricardo Teixeira para manifestar sua solidariedade para com o cartola. Ricardo Teixeira já deveria estar na cadeia há muito tempo.


E o futebol, um esporte de massas, infelizmente, ainda vai continuar sendo um meio de alienar ainda mais esse povo sofrido, humilhado, enganado, explorado.


A falta de perspectiva para a juventude de um futuro promissor, não somente no Brasil, mas em todo o mundo, em consequência deste regime capitalista selvagem, muitos jovens partem para a violência que, por sinal, está em toda a sociedade cada vez mais enferma, individualista, egoísta, consumista, mercantilista, tecnológica, incapaz, medíocre, oportunista, corrompida. A violência toma conta do mundo. Não dá para resolver o problema da violência sem o fim da miséria, sem o fim da injustiça, com a falta de cultura, educação, emprego, assistência médica, salários decentes.

A violência no futebol já matou 1.500 pessoas desde 1971. Um relatório da FIFA sobre violência em estádios de futebol foi divulgado há dias atrás. Segundo foi anunciado, esse número é o resultado de uma pesquisa, que incluiu conflitos antes, durante e depois dos jogos de campeonatos em várias partes do mundo. A tragédia de Port Said, no Egito, ocorrida no mês de fevereiro, onde 76 pessoas perderam a vida, não consta do relatório. O relatório informa ainda que cerca de 6.200 pessoas ficaram feridas.

Com os preparativos para a Copa do Mundo, populações inteiras estão sendo removidas para longe dos grandes centros. Em algumas favelas de São Paulo vem acontecendo incêndios estranhos.

Para a Copa do Mundo realizada na África do Sul foram gastas quantias fabulosas com a construção de grandes estádios, hoje, muito mal utilizados. Um grande desperdício para um país situado num continente com problemas terríveis e com trinta por cento da população contaminada com o vírus da AIDS.

Com a renúncia de Ricardo Teixeira, que ficou rico durante seu longo mandato na CBF, finalmente aconteceu algo positivo, o que significa mais uma etapa para a moralização, democratização do futebol brasileiro. Anteriormente, ou seja, há alguns anos atrás, o impeachment do ex-presidente do Flamengo Edmundo Silva e do complicado e corrupto presidente do Vasco da Gama, Eurico Miranda, já representou um pequeno passo para o afastamento de cartolas corruptos, embora haja muita coisa por fazer, principalmente, de saída, acabar com a impunidade no cenário esportivo e em todos os setores da República. Há dias atrás, mais três jovens torcedores perderam a vida. Um verdadeiro absurdo!

A violência de hoje e a proliferação das atividades criminosas é consequência da impunidade dos sequestradores, estupradores, assassinos,  do terrorismo de Estado, afinal, um grande exemplo e incentivo para os criminosos de hoje. Ultimamente, a população de rua em vários estados está sendo covardemente agredida por delinquentes filhos das classes médias altas e da burguesia. E o pior é que esses marginais fantasiados de gente bem, filhinhos de papais corruptos, continuam impunes.

A crueldade da criminalidade está tornando cada vez mais dramática a situação dos direitos humanos no Brasil. Isso sem contar nas ONGs picaretas que foram e são formadas para não fazer nada mesmo e têm como objetivo desmoralizar as verdadeiras entidades, que lutam para que se ponha um fim às graves violações dos direitos humanos. O crime subproduto da pobreza está contribuindo para aumentá-la ainda mais. E com isso, setores da classe média e alta, aliados aos abutres da imprensa corrupta, clamam por medidas mais repressivas contra a população pobre.

A criminalização dos movimentos sociais é uma realidade. Vivemos um tempo de suspensão de direitos. Mesmo após o fim da ditadura militar, a tortura continua existindo nas prisões brasileiras, apesar de ser considerada crime hediondo pela Organização das Nações Unidas. A sociedade precisa tomar posição contra as graves violações dos direitos humanos, não só em termos de tortura, mas também contra as terríveis condições carcerárias, contra a violência policial e a impunidade. O Brasil tem uma das piores distribuições de renda do continente. Poucos que têm tanto e tantos que têm tão pouco. O povo brasileiro não pode deixar se iludir com as manipulações, pregações das elites encurraladas e da chamada grande imprensa para confundir defesa dos direitos humanos com conivência com o crime, clamando por medidas mais repressivas. Na verdade, fica difícil discutir o problema da violência sem justiça, com falta de educação, com a miséria, desemprego, sem distribuição de renda, com milhões de Sem Teto, Sem Terra, sem democratização dos meios de comunicação.

Está na hora do povo brasileiro mobilizar-se contra a miséria, a pobreza em que sobrevivem mais de 50 milhões de brasileiros, contra todo tipo de abuso, inclusive, da indústria farmacêutica, contra os tubarões do ensino, contra o vergonhoso salário mínimo, contra os péssimos programas de televisão, que contaminam as cabeças das crianças, contra os banqueiros que não pagam impostos, contra os ladrões do colarinho branco, contra os políticos corruptos, contra os bandidos togados que no dizer da presidente do Conselho Nacional de Justiça, Eliana Calmon, integram o Poder Judiciário devido à falta de transparência e mecanismos de controle nos tribunais. Sem medidas efetivas para realização de reformas que o Brasil necessita, as medidas contra a violência nos estádios, nas escolas e outros setores do país, serão apenas para inglês ver.

Delson Plácido

marina mariusso cappelli
marina mariusso cappelli disse:
14/07/2012 16h32

quando a esses cartolas corruptos, ladrões e sem o mínimo de respeito e patriotismo a essa nação privilegiada por Deus, bem como nossos políticos que sempre legislam em causa própria, eu acho que deveríamos ter o MUSEU DO LIXO, onde figuras de cera representariam essas figuras, com seu histórico completo para que seu mau exemplo, suas falcatruas e suas caras de pau ficasses registradas para todo sempre para que jamais os brasileiros se esquecem que são exemplos que devem ser execratos e servissem de base para comportamentos totalmente opostos. Seria um Brasil mais saudável e feliz. Principalmente mais respeitado no exterior, com leis rígidas e justas, punindo essa corja de lobos que se disfarça de carneiros.

Comentários foram desativados.