Economia

Taxação da poupança privilegia capital fictício e banqueiros

A taxação dos rendimentos da caderneta de poupança pôs fogo na disputa política no país. O Imposto de Renda (IR) passaria a incidir em 2010 sobre a rentabilidade das cadernetas que tiverem mais de R$ 50 mil depositados, caso a Selic fique abaixo de 10,5%. Como apenas 1% das cadernetas passa desse valor, o povo mesmo não será afetado diretamente em nada pela nova medida. Mas o governo “se esqueceu” de explicar a regressividade da taxação e como ela beneficia os banqueiros.

Adeus, General Motors, diz Michael Moore

A gigante estadunidense da indústria automotriz, General Motors, deu o seu adeus no dia 1/06 em Nova Iorque devido à bancarrota. Esta é a maior quebra industrial da história dos Estados Unidos e a quarta maior do mundo. Nesta edição um artigo do cineasta Michael Moore, diretamente de Michigan, antes o berço da GM, hoje, seu leito de morte, em que os habitantes da cidade, que girava em torno da indústria, estão desesperados diante do estrago cometido pela empresa ao longo de décadas. As demissões já vem atingindo aos operários da GM em todo o mundo. O governo Obama corre em socorro a outrora poderosa GM, mas questiona Moore: Será que a solução agora é colocar o dinheiro público para salvar essa máquina de moer gente?