Economia

Crise afetará mais o Brasil em 2009

O país resistiu bem a essa primeira quebra, graças à economia mundial favorável nos últimos anos, à desindexação de parte da dívida e à exploração dos trabalhadores brasileiros: estrutura latifundiária, baixos salários, diversificação de exportações, mercado interno, investimentos em infra-estrutura e controle da inflação com privatizações e altas taxas de juros. Cada vez mais torna-se candente a organização dos trabalhadores.

Crise aponta para aumento do desemprego em 2009

Segundo os dados oficiais, o desemprego caiu desde 2006. A taxa de queda, no entanto, foi muito menor em 2008, e deverá ser revertida em 2009, com o aumento do desemprego provocado pela generalização da crise capitalista na esfera da economia real. Em alguns locais, como Recife, a taxa já cresceu com relação a 2007, chegando a 20,4%. Em outros, como Salvador e São Paulo, manteve-se relativamente estável.