O exército de batas brancas

Há 50 anos Cuba cria em todo o mundo reações extremadas, guia o imaginário de toda a esquerda revolucionária latino-americana, e desperta o ódio de toda a oligarquia do planeta, há 50 anos um movimento guiado por Fidel Castro Ruz guiava Cuba há um novo estágio de internacionalismo proletário, há um novo estágio da revolução proletária, não só em Cuba, mas em todo o mundo.

O exército de batas brancas

Há 50 anos Cuba cria em todo o mundo reações extremadas, guia o imaginário de toda a esquerda revolucionária latino-americana, e desperta o ódio de toda a oligarquia do planeta, há 50 anos um movimento guiado por Fidel Castro Ruz guiava Cuba há um novo estágio de internacionalismo proletário, há um novo estágio da revolução proletária, não só em Cuba, mas em todo o mundo.

É preciso se ater ao fato de que a Cuba revolucionária desperta o ódio e o temor das oligarquias deste continente e do mundo, não só por sua estratégia revolucionária inovadora, não por representar em si uma ameaça militar aos países capitalistas, mas sim que a Cuba revolucionária de Castro, Raúl, Che e Camilo e tantos outros heróis emana de seu interior, emana de seu povo um exemplo exportado a todo o continente, uma idéia de liberdade, justiça e esperança, uma idéia que percorreu, percorre e percorrerá a América como um rastilho de pólvora, que segue a esquentar a luta de toda a classe revolucionária latina, que segue a incentivar a luta contra o império da mentira do egoísmo e do capital.

Esta pequena ilha do caribe tem uma população de cerca de 10 milhões de habitantes, menos que a população da cidade de São Paulo, não produz muito do que precisa, tendo que importar grande parte de seus itens básicos, há mais de 40 anos sofre um intenso bloqueio econômico, uma ilha que sofre iniciativas terroristas por parte dos Estados Unidos apoiando a máfia cubana residente em Miami, ataques que vão desde ataques biológicos às plantações até atentados contra aviões e hotéis, cuba sofre desde a vitória da revolução constantes ataques de infâmias e calúnias por parte da mídia burguesa de todo o continente, uma ilha que passou por uma grave crise econômica nos anos noventa com a queda da URSS (União da Repúblicas Socialistas Soviéticas) e do campo socialista do Leste Europeu, tendo reduzido do dia para a noite suas exportações em 75%, um período onde os Estados Unidos intensificaram o bloqueio econômico a fim de gerar fome e desalento à população cubana, um período conhecido como período especial, entretanto, em meio a este mar de problemas, são notórias as conquistas da Revolução Cubana, 200 milhões de crianças dormem nas ruas do mundo mais nenhuma delas é cubana, cuba tem hoje erradicados a fome e o analfabetismo, tem um dos maiores percentuais de médicos e professores por habitantes de todo o mundo, uma educação de ponta, em horário integral, os estudantes todos têm a oportunidade de cursar uma faculdade sem que para isso seja necessário uma grande quantia em capital, como acontece em países capitalistas como o Brasil, tendo uma saúde que atende a demanda de toda a população que se vê assistida com uma ampla e eficiente rede de saúde pública, em Cuba não se morre em filas de hospitais, em Cuba não se pratica uma medicina capitalista que visa remediar doenças, na Cuba Revolucionária Socialista se pratica, como em parte alguma do mundo, uma medicina preventiva humanista, Cuba tem mais de 25 mil médicos em trabalhos voluntários em países do mundo hoje, os países capitalistas que tanto atacam e criticam Cuba só exportam guerra seja ela bélica ou econômica, Cuba exporta médicos, professores, técnicos, enfermeiros sem interesses escusos, sem interesse em gélidas relações econômicas, sem que esses profissionais tragam nenhum tipo de riqueza dos países que foram trabalhar, a Cuba Revolucionária Socialista demonstra em sua política externa a extrema diferença do mundo capitalista para o mundo socialista, visto a política externa norte-americana, que leva guerra, destruição e morte e a política socialista Cubana, que leva ajuda e esperança, no mais puro exemplo de internacionalismo proletário.

Cuba não só ajuda os outros países com profissionais cubanos, mas também forma profissionais de outros países, centenas de estudantes estão sendo graduados em Cuba hoje, em Jornalismo, Informática, Educação Física e vários outros cursos, uma das maiores contribuições dadas por Cuba é na área médica onde são graduados por ano mais de 1.000 estrangeiros, Cuba mantém hoje uma escola de medicina só para estrangeiros, a Escola Latino-Americana de Medicina (ELAM ).

A idéia de criar a escola latino-americana de medicina surge no final de 1998 como forma de mostrar a solidariedade do povo cubano com os povos irmãos, especialmente da América Latina, diante dos desastres causados pelos furacões Mitch e George na América Central, surgiu então a idéia por parte do comandante-em-chefe da revolução, Fidel Castro, de construir um projeto integral para a região da qual esta instituição forma parte, dez anos depois a ELAM já tem três turmas graduadas, mais de quatro mil estudantes de 23 países da América, incluindo estudantes norte-americanos demonstrando a enorme diferença da posição estadunidense de ataque infâmia e calúnias e a solidária posição cubana, a Escola Latino-Americana de Medicina conta hoje com mais de quatro mil alunos, se situa na capital de Cuba, Havana, conta com os melhores professores, residência estudantil, os alunos não pagam absolutamente nada para estudar, ganham livros e material escolar, alem de itens básicos para viver, conta também com laboratórios de química, Física, Anatomia, Fisiologia, Histologia; também teatro, quadras poliesportivas, campo de futebol, campo de beisebol, pistas de corridas, aulas de karatê, de artes, canto, e amplos refeitórios, tendo um dos diplomas mais bem reconhecidos do mundo, mesmo que países como o Brasil insistam em não reconhecê-lo, atitudes que pouco ou nada têm haver com ciência, mas absolutamente com política, como sempre as classes dominantes no poder tomando decisões para seu favor em detrimento do povo brasileiro, o CFM ( Conselho Federal de Medicina ) persiste em sua política burra de atravancar a validação do diploma dos estudantes de medicina em Cuba, tomando decisões arbitrárias que nada têm haver com o interesse da população brasileira, com argumentos falaciosos, instituição burguesa que se importa apenas com seus interesses reacionários, alegando que na melhor medicina do mundo, medicina que tem excelência reconhecida por todo o planeta, não se forma médicos, se formam técnicos em medicina, um argumento absurdo, a grande verdade é que a medicina general integral ensinada na ELAM é uma medicina preventiva de promoção da saúde, o que prejudica em muito as grandes empresas de medicamentos, as multinacionais farmacêuticas, enfim, os interesses dos grandes capitalistas que fazem da saúde da população um negócio, a ELAM forma médicos com consciência, forma médicos de alma, não só de diploma, médicos no verdadeiro sentido do juramento de Hipócrates, médicos que têm a consciência de que não se pode falar seriamente de melhora na saúde pública nos seus países e no continente enquanto houver fome, miséria, desalento e opressão, porque fome e miséria também são problemas de saúde pública, médicos com uma consciência nova, de homens e mulheres novos, até quando se vai curar crianças desnutridas, doenças causadas por falta de saneamento, causadas por descaso público, não, é preciso ter a consciência de que é necessário acabar com a fome e com a miséria, e Cuba hoje dá a oportunidade de jovens pobres do mundo, cortadores de cana, indígenas, pessoas que não teriam a condição de fazer medicina em seus países, de se formarem médicos, de voltar para seus países e trabalhar para seu povo, mexicanos, peruanos, brasileiros, argentinos, estadunidenses, belizenhos, guatemaltecos, e outros tantos povos da nossa América, porque acima de tudo somos latino-americanos, um verdadeiro exército de médicos prontos para ajudar, um exército de batas brancas.

"Um médico que só de medicina sabe, nem de medicina sabe"

Dr. Ernesto Guevara de la Serna. (CHE)Para a batalha de idéias um exército de batas brancas!

Pela validação do diploma dos estudantes de medicina em Cuba!

Viva a Cuba revolucionária!

Juventude 5 de Julho La Habana, Cuba
Michel Mendes Damasceno