A CCB Brasil promoveu diversos atos no dia 6

Como forma de repúdio à ação implementada pelo governo colombiano de Alvaro Uribe Veléz, de invadir o território do Equador, atentando contra a soberania deste país, ação esta que matou a guerrileiros das Forças Armadas da Colômbia – EP (FARC-EP), entre eles o Comandante Raúl Reyes, a CCB realizou no dia 6 de março protestos em diversas cidades como Rio de Janeiro, Pelotas, Fortaleza e São Paulo.

A CCB Brasil promoveu
diversos atos no dia 6

 

Ato na ABI teve Nota de Desagravo às FARC-EP, ao Equador e à Venezuela

 

Dezenas de pessoas lotaram a sala “Belisário de Souza” para assistir à conferência de imprensa cedida pelo Capítulo Brasil da Coordenadora Continental Bolivariana. Estiveram presentes, além da imprensa alternativa, operários, estudantes, representantes de movimentos sociais e lideranças populares.

Após a leitura da nota de desagravo às FARC, ao Equador e à Venezuela, escrita pelo membro da Presidência Coletiva da CCB e presidente do Capítulo Brasil, Aluisio Bevilaqua, os presentes foram chamados a se manifestar e expressaram seu endosso a nota, que além do desagravo e da homenagem ao revolucionário Raul Reyes também exige uma posição do governo brasileiro, frente a grave ameaça que as ações da Colômbia representam a soberania dos países do continente.

Logo após, membros do Capítulo Brasil da CCB, delegados ao II Congresso da Coordenadora Continental Bolivariana, que ocorreu em Quito, relataram sua participação no Congresso. Falaram o Jornal Inverta, CEPPES, o PCML, o Centro Cultural Casa das Américas de Nova Friburgo, a UMNA e ASJT.

Foi destacado o irmanamento que ocorreu entre as diversas delegações, que eram compostas por lutadores sociais dos diferentes países de nosso continente e também de outras partes do mundo. A língua não foi uma barreira para que a luta do povo brasileiro fosse integrada a luta de nossos irmãos.

Foi divulgado também o trabalho da Agência Bolivariana de Prensa e seu papel como fonte objetiva da realidade do conflito colombiano e das lutas dos povos do continente, já que ela é uma agência dos próprios movimentos sociais.

Em Pelotas trabalhadores
desempregados e CCB protestam

Em Pelotas, Rio Grande do Sul, o Movimento dos Trabalhadores Desempregados (MTD), junto com o Capítulo Brasil da CCB, iniciou o dia fazendo um protesto contra a falta de políticas para combater o desemprego, em um supermercado da cidade, onde tentaram pagar gênero alimentícios com um cheque da Governadora neoliberal Ieda Crusius.

Com a chegada dos órgãos de repressão, os trabalhadores ocuparam a sede do Sistema Nacional de Empregos, e resistiram por um tempo até serem retirados pela força pública.

O encerramento desse dia foi o ato político na Esquina Democrática, convocado pela CCB, onde diversos discursos foram feitos em defesa das FARC-EP e em desagravo aos governos da Venezuela e do Equador.

Everton, militante da Juventude Cinco de Julho, apontou que, diferente do que prega a mídia convencional, é o governo Uribe, e não as FARC que recebem financiamento do narcotráfico. “Todos sabem que o pai de Uribe era um famoso narcotraficante”.

Fortaleza presta solidariedade à resistência guerrilheira e ao povo colombiano

O Capítulo Brasil da Coordenadora Continental Bolivariana realizou no dia 6 de março ato de solidariedade ao povo trabalhador colombiano e as FARC-EP. A atividade fez parte da Jornada Mundial Pela Paz na Colômbia, convocada em todo o mundo para denunciar o caráter narcotraficante e servil do governo de Álvaro Uribe no país.

Atendendo ao apelo de milhares de sindicatos e movimentos populares na Colômbia, para que fossem feitas manifestações de apoio às FARC-EP em todo o mundo, a CCB brasil, junto com os comunistas revolucionários do PCML e Juventude 5 de Julho saíram às ruas da capital cearense para prestar solidariedade à resistência guerrilheira e ao povo trabalhador no país vizinho.

Durante todo o dia, os comunistas revolucionários estiveram realizando atividades na Universidade Federal do Ceará, e informando aos trabalhadores os verdadeiros fatos, os quais não saem na mídia capitalista. As atividades iniciaram-se a partir das 9:00hs e perduraram durante toda a quinta-feira no bairro Benfica, principal centro universitário da cidade.

Pela Manhã, o Capítulo Brasil da CCB organizou brigadas de solidariedade ao Povo colombiano e as FARC-EP, promovendo um “corpo-a-corpo” com os estudantes, servidores e professores da Universidade Federal do Ceará. A Juventude 5 de Julho fez a contundente denúncia do governo fascista e narcotraficante de Uriibe em ato realizado no Auditório da Faculdade de Ciências Sociais (UFC). Ouviu-se aos quatro cantos manifestações de apoio à jornada e às FARC-EP.

Ao final da manhã, os comunistas realizaram ato de denúncia aos estudantes no “acalourado” Restaurante Universitário – iniciativa, aliás, aplaudida pelos estudantes e trabalhadores presentes. Sob palavras de ordem “A luta do povo não é terrorismo! Viva os trabalhadores da Colômbia! Viva as FARC-EP!”, a brigada de solidariedade fora reconhecida pela firmeza e coragem política.

À tarde, a brigada continuou a sua jornada de denúncias entre os estudantes dos cursos de História, Biblioteconomia e Comunicação Social. Os camaradas não vacilaram em levar as mensagens de paz das FARC-EP e massas exploradas. Pela noite, foi a vez dos cursos de Economia, Ciências Contábeis, Administração e Ciências Atuárias, e mais uma vez o trabalho fora respaldado pela coerência política que carregaram.

São Paulo faz ato de protesto em
frente ao Consulado da Colômbia

Em São Paulo, o Capítulo Brasil da CCB participou de um ato que reuniu 50 pessoas em frente ao consulado da Colômbia. Estiveram presentes representantes de partidos políticos, de movimentos sociais e de organizações de direitos humanos.

O cônsul, exemplificando a postura de seu governo em evitar tratar de frente os graves problemas que a política belicista de Uribe acarreta, não aceitou receber uma comissão do ato. Pediu que esperassem enquanto retirou-se do consulado.

Os manifestantes levaram faixas, dois estandartes assinados pela CCB – Capítulo Brasil com fotos do camarada Raúl Reyes, além da nota oficial do Capítulo e de um panfleto que comparava o currículo revolucionário de Reyes com a desprezível biografia do narco-presidente Uribe.

Os manifestantes entoaram diversas palavras de ordem (“Uribe e a CIA/A mesma porcaria”; “Uribe Fascista/ Você é o terrorista”; “Raul Reyes/ Presente!”).

De noite, convocado inicialmente pela Coordenadora, mas logo aderido por diversas outras organizações, houve um ato político que lotou o salão do Sindicato dos Advogados, reunindo representantes de 15 partidos, movimentos sociais e sindicatos.

Foi lida a nota oficial do Capítulo Brasil da CCB e também fizeram uso da palavra alguns dos militantes presentes. Foi destacado que o covarde ataque é já o início de uma ofensiva do imperialismo para apoderar-se da Amazônia e do petróleo do continente. Foram feitas homenagens também ao Camarada Raul Reyes, exemplo para a juventude latino-americana.

Neste ato foi tirada uma agenda de mobilização: Participação nos atos de 8 de março, destacando o exemplo heróico da mulher guerrilheira; um ato público no auditório do SINDSPREV no dia 13 de março; uma panfletagem massiva no dia 14 de março; e no dia 19 de março, coincidindo também com o início da invasão imperialista do Iraque, será realizada uma grande marcha anti-imperialista.

Sucursais RJ, SP, CE e RS