Salário de R$ 408, 90 continua mínimo

O salário mínimo deve passar, a partir de abril, dos atuais R$ 380,00 para R$ 408,90, segundo informou no dia 26/12 o deputado José Pimentel (PT-CE), relator-geral do Orçamento Geral da União para 2008, em entrevista à Agência Brasil. O valor inicial, previsto na proposta orçamentária do governo federal, enviada em agosto passado ao Congresso Nacional, era de R$ 407,33.

Salário de R$ 408, 90 continua mínimo


O salário mínimo deve passar, a partir de abril, dos atuais R$ 380,00 para R$ 408,90, segundo informou no dia 26/12 o deputado José Pimentel (PT-CE), relator-geral do Orçamento Geral da União para 2008, em entrevista à Agência Brasil. O valor inicial, previsto na proposta orçamentária do governo federal, enviada em agosto passado ao Congresso Nacional, era de R$ 407,33.

Segundo a reportagem o mínimo de R$ 408,90 foi estabelecido na segunda reestimativa orçamentária, feita já pela Comissão Mista de Orçamento (CMO), diante dos dados que confirmaram um crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 4,9% para 5,4%. Esse crescimento teria gerado um adicional de receita para o governo de R$ 8 bilhões, suficientes, segundo Pimentel, “para cobrir o aumento do salário mínimo”.

José Pimentel voltou a criticar a derrota imposta pela oposição ao governo na votação, no Senado Federal, da emenda que prorrogava a Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) até 2011. A CPMF deixa de ser cobrada em 1º de janeiro de 2008, o que deve gerar queda de receita de R$ 40 bi para o governo federal.

Segundo Pimentel, a demora na votação do orçamento pelo Congresso Nacional e, conseqüentemente, na sanção do presidente da República ao orçamento de 2008, vai levar a um atraso no início da execução da peça orçamentária. Em função das eleições municipais, marcadas para outubro de 2008, a partir do dia 30 de junho próximo, as prefeituras não poderão mais receber recursos orçamentários oriundos de convênios com os governos federal e estaduais. A previsão de José Pimentel é que a execução do orçamento somente será iniciada em abril de 2008.

Segundo a reportagem de Antonio Arrais para a ABR, o relator-geral do orçamento garantiu, além do valor de R$ 408.90 para o salário mínimo, que o orçamento para o próximo ano preservará os valores fixados anteriormente pelo governo para o pagamento dos servidores públicos ativos e inativos da União, bem como para os aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Não foi nem preciso, no fechamento da edição, ir às ruas pesquisar a opinião da dona de casa sobre o que a mesma fará com o aumento do mínimo. O vento traz o folheto de um supermercado com as “ofertas”. Contando 10 itens oferecidos e que fazem parte da cesta alimentar e de higiene de uma família de 5 pessoas, dois adultos e dois jovens e uma criança, ops, lá se foi mais de 75% do mínimo novo. E ainda faltam tantos itens, como aluguel, transporte, remédios. Mais um ano de luta se inicia a toda a classe trabalhadora brasileira, seja os que estão incluídos no trabalho formal quanto os que batalham diariamente no mercado informal.


Almeida Rodrigues