Medidas contra a desvalorização do dólar

Um pacote de cerca de R$ 1 bilhão para os setores ligados à exportação, que estão perdendo competitividade com a valorização do real frente ao dólar, foi uma das medidas do governo federal para ajudar as empresas que são ligadas ao setor externo.

Medidas contra a desvalorização do dólar


Um pacote de cerca de R$ 1 bilhão para os setores ligados à exportação, que estão perdendo competitividade com a valorização do real frente ao dólar, foi uma das medidas do governo federal para ajudar as empresas que são ligadas ao setor externo. As medidas tomadas pelo Ministério da Fazenda prevêem a ampliação das linhas de crédito, benefícios tributários e redução nas taxas sobre as importações. O BNDES oferecerá 3 linhas de financiamento no total de R$ 3 bilhões com juros subsidiados pelo Tesouro. As atividades que serão beneficiadas pelas medidas são: calçados, têxteis, confecções e móveis, na área tributária, as autoridades editaram uma medida provisória que reduz o prazo para as empresas usarem créditos do PIS e do Confins para a compra de máquinas e equipamentos, atualmente esses créditos são compensados em dois anos e agora o uso será imediato. Este limite cairá para 60% que beneficiará 60 empresas e as medidas tributárias terão impacto de R$ 650 milhões nestes setores, além do automobilístico e de eletroeletrônicos.

Desde 2004, a isenção tributária deve chegar a R$ 29 bilhões, que inclui os investimentos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), e os juros das três linhas especiais do BNDES são os mais baixos dos últimos tempos, segundo o ministro da Fazenda, Guido Mantega. Os recursos serão de R$ 3 bilhões, com R$ 2 bilhões vindos do BNDES e o resto do FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador). Com a queda na cotação do dólar a indústria brasileira não tem condições de concorrer com os produtos importados, principalmente da China, e perde competitividade no mercado internacional, mesmo assim, a balança comercial brasileira continua superavitária, embora as importações estejam aumentando mais do que as exportações nos últimos resultados do comércio exterior brasileiro.

O saldo positivo nas trocas internacionais do Brasil na balança comercial tem sido alavancado pela agroindústria que representa mais da metade das exportações brasileiras e agora com a iniciativa do atual governo de apoiar a indústria açucareira para produzir etanol terá mais impacto na inserção do Brasil no cenário mundial. Uma demonstração de que o Brasil terá novamente um papel de exportador de matéria prima para abastecer o mercado dos países ricos no setor energético são os investimentos de grupos internacionais para a produção de agrocombustível.


JCFL