Movimento

Ato do Primeiro de Maio no Rio

O Comitê de Luta Contra o Neoliberalismo realizou no dia 1º de Maio, data em que ficou conhecida internacionalmente como o dia da classe trabalhadora, mais um ato histórico na Quinta da Boa Vista, Rio de Janeiro. Durante o evento foi distribuído o Manifesto do 1º de Maio, vários exemplares dos jornais INVERTA e Granma Internacional e o Manual do Direito dos Trabalhadores, da ASJT-Rio.

1° de Maio de Luta no Rio Grande do Sul

Ao contrário das centrais sindicais que arribaram da luta e fazem da atividade do Dia do Trabalhador um dia de amortecimento do ímpeto revolucionário dos trabalhadores, com sorteios, mega shows, tudo pago a rios de dinheiro, o Comitê Gaúcho de Lutas Contra o Neoliberalismo, o PCML - Partido Comunista Marxista-Leninista, entidades do movimento sindical e popular, Juventude 5 de Julho, partidos como PSOL saíram às ruas para protestar contra as reformas neoliberais, o deserto verde em que as elites querem transformar o sul do estado riograndense.

1o de Maio em São Paulo

As oligarquias e a sua grande imprensa alardearam que as comemorações em torno do Dia Internacional dos Trabalhadores seriam todas chapa-branca. Fazem isso para esconder que uma parte da classe operária paulista está levantando a sua bandeira de lutas fora dos eventos festivos-alienantes das grandes centrais sindicais atreladas ao governo federal, tanto de ontem como de hoje. Desde o segundo mandato de FHC, quando a CUT (Central Única dos Trabalhadores) abandonou a palavra de ordem pela Greve Geral, os comunistas revolucionários e socialistas em geral vinham realizando na Praça da Sé, local histórico de luta da classe operária contra a exploração capitalista, as suas atividades do 1º de Maio de Luta e Anticapitalista.

Congresso de trabalhadores do Amianto na Venezuela

Foi realizada nos dias 27 e 28 de fevereiro uma reunião na Venezuela para eleger a diretoria da Federação Internacional dos Trabalhadores do Amianto Crisotila. Estiveram presentes no congresso representantes da Colômbia, Brasil, México e Venezuela.

Reitoria da USP Ocupada

Dia 03/05, quinta-feira, após a reitoria não comparecer a uma auditoria pública, marcada para a discussão sobre os decretos do governador de São Paulo, José Serra, http://www.adunicamp.org.br/S%EDntese%20Decretos%20Serra.pdf , que, com a criação de uma Secretaria para o Ensino Superior e outras medidas atacam a autonomia universitária e a qualidade do ensino superior, os estudantes da Universidade de São Paulo (USP) tentaram entregar uma carta à reitora com a pauta de suas reivindicações e foram impedidos. Decidiram, então, por ocupar a reitoria.

Manifesto do Movimento Paulista de Solidariedade a Cuba

O Movimento de Solidariedade a Cuba do estado de São Paulo (Brasil) se soma às muitas vozes que repudiam e denunciam a decisão tomada nos EUA, pela juíza federal de El Paso (Texas), Kathleen Cardone de dar liberdade ao terrorista internacional Luis Posada Carriles.

A mobilização em Patos-PB no dia da Marcha da Educação

O dia 25 de Abril de 2007 entrou para a história do Movimento em Defesa da Escola Pública. Enquanto o presidente Luis Inácio Lula da Silva lançava, com toda pompa, o piso nacional dos professores da Educação Básica, como uma das iniciativas do Plano de Desenvolvimento da Educação, os professores da rede pública de ensino protestavam contra o valor do piso, num dia de paralisação nacional, em que ocorreu a IV marcha em Defesa e Promoção da Escola Pública.