Irã considera "inaceitável e impraticável" a resolução da ONU

Teerã - O máximo representante de Segurança Nacional e Assuntos Exteriores do Parlamento iraniano disse em 25/03 que a resolução do Conselho de Segurança da ONU que endurece as sanções contra Teerã é "inaceitável e impraticável", conforme divulgou a agência de notícias local Mehr.

Irã considera "inaceitável e impraticável" a resolução da ONU


    Teerã - O máximo representante de Segurança Nacional e Assuntos Exteriores do Parlamento iraniano disse em 25/03 que a resolução do Conselho de Segurança da ONU que endurece as sanções contra Teerã é "inaceitável e impraticável", conforme divulgou a agência de notícias local Mehr.

    “O Irã persistirá em suas pesquisas dentro do marco normativo nuclear [...] e solicita ao grupo dos 5+1 que volte à mesa de negociações imediatamente e sem condições prévias, afirmou" Alaeddin Boroujerdi.

    Nas declarações, o parlamentar iraniano fazia referência aos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU (China, Reino Unido, França, Rússia e Estados Unidos) mais a Alemanha.

    Deste modo Boroujerdi acrescentou que o Parlamento iraniano considerará a possível resposta à resolução 1747 depois das celebrações do Ano Novo iraniano, que terminam no dia 3 de abril.

    Mohammad-reza Bahonar, vice-presidente do Parlamento iraniano, defendeu também o direito do Teerã de desenvolver tecnologia nuclear, conforme divulgou no domingo a televisão estatal em sua página Web.

    “O Irã é membro do Tratado de Não Proliferação de Armas Nucleares e, portanto, tem direito a obter energia nuclear com fins pacíficos como os outros membros", afirmou Bahonar no dia 24/03, horas depois de o Conselho de Segurança adotar de forma unânime a resolução.

    "Podemos continuar negociando se o caso for remetido de novo à Agência Internacional de Energia Atômica", acrescentou.

Agência Xinhua