Pelo Mundo...

Nova jornada mundial a favor dos 5 heróis cubanos.

Havana - Uma nova jornada mundial a favor da liberação de cinco antiterroristas cubanos presos nos Estados Unidos se desenvolverá na próxima semana na ilha e em diversos países.

De 12 a 17 de dezembro está prevista a mobilização da opinião pública internacional em solidariedade com o Gerardo Hernández, Ramón Labañino, Antonio Guerreiro, Fernando González e René González, condenados com penas máximas por impedirem sabotagens contra seu povo e cidadãos de todo o mundo que visitam Cuba.

O mais importante é romper o silêncio sobre o caso, diante de uma contundente resolução de juristas da ONU sobre as irregularidades registradas nos julgamentos pela Corte de Atlanta.

Integração sul-americana toma força na Bolívia

Cochabamba - A aspiração de unidade e complementaridade tomou força no dia 10/12 para as 12 nações que integram a Comunidade Sul-americana após seus mandatários terem assumido novos projetos de cooperação.

Os presidentes da Bolívia, Brasil, Venezuela, Peru, Chile, Paraguai, Uruguai e Guiana, assim como os representantes dos presidentes ausentes da Colômbia, Equador, Suriname e Argentina, colocaram a pedra fundamental no processo de integração, ao assinarem o texto final do encontro, a Declaração da Cochabamba, que  reconheceu a influência negativa do processo de globalização nas economias da região, tornando necessária à construção de alternativas.

A II Cúpula dos presidentes da América do Sul foi celebrada de maneira simultânea com o Foro Social Mundial pela Integração dos Povos.

56,3% dos russos lamentam queda da URSS.

Moscou - A desintegração da União de Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) há 15 anos, reaviva um debate político.

O acordo de Bieloviezhski foi assinado em 8 de dezembro de 1991 pelo então presidente da Rússia, Boris Ieltsin; da Ucrânia, Leonid Kravchuk; e da Bielo-Rússia, Stanislav Shushkevich...

A maioria da população, 56,3% dos russos, lamenta a queda do Estado soviético, segundo enquetes da consultoria Bashkirov e parceiros.

Dos cidadãos da Rússia, Ucrânia e Bielo-Rússia, 69 em cada 100 entrevistados têm essa opinião, segundo a agência Monitor Euro-asiático.

Agência de Notícias Xinhua e Prensa Latina