Inadimplência cresce entre consumidores

 

A inadimplência no comércio aumentou nos últimos meses. Mas, agora, nas festas de fim de ano, com o recebimento do 13 salário pelos trabalhadores, estes devem usar a complementação para pagar dívidas.

A maior evidência para o número de endividados, é o Banco Popular, que está dando prejuízo ao governo federal, por causa do aumento da inadimplência entre as pessoas de baixa renda.

O Banco Popular soma um prejuízo R$ 47,6 milhões uma vez que, 24% dos créditos não estão sendo pagos.

O perfil do cliente do Banco Popular, é o de uma população que nunca teve acesso à conta corrente em instituições bancárias. Por isso, o governo Lula criou esse Banco, para atender ao consumidor de baixa renda.

Outro grande problema que causa a inadimplência no comércio são os juros praticados pelas instituições financeiras, que no cartão de crédito somam  mais de 100% ao ano, engordando os lucros dos bancos.

Embora as taxas básicas estejam caindo, esse tipo de referência para o mercado financeiro, é meramente figurativa, porque  uma queda de 0,25% ou 0,5% ao mês, não significa nada nas taxas de juros, cobradas pelos bancos que estão num patamar bem mais elevado.

O comércio projeta um aumento nas vendas de Natal, em torno de 30%,  no ano de 2005, em relação ao ano anterior; o mercado interno calcula uma alta de 1% no PIB, no último trimestre deste ano.

O saldo da balança comercial deve ficar próxima de US$ 40 bilhões este ano, sendo que não ultrapassará muito esta meta, por causa da queda das exportações da carne bovina, devido à febre aftosa que fez com que mais de 50 países, suspendessem as exportações desse produto do Brasil.

Segundo o Ministério da Agricultura, a suspensão da importação da carne brasileira, causará um prejuízo de cerca de US$ 1 bilhão.

O aumento das importações, no final do ano, também devem ser um fator de queda no saldo do comércio exterior.

A cotação do dólar, em relação ao real, também é um atrativo para que os consumidores sejam tentados a comprar mais produtos importados, nas festas de fim de ano.

O início do ano, também é uma época de calote no comércio, uma vez que, muitas pessoas usam o cartão de crédito para dividir as prestações das compras.

Mas, não têm condições de pagar o que devem, e entram nos juros astronômicos do crediário, o que aumenta a taxa de inadimplência de um modo geral.

Lucio Fernando