O movimento pela libertação de Olivério Medina é mundial

 

A mobilização pela libertação do representante político, membro da comissão internacional das FARC-EP, Olivério Medina, preso no Brasil, tem crescido muito. Organizações, autoridades e lideranças políticas têm enviado cartas, solicitando ao governo brasileiro a sua libertação.

O movimento pela libertação de Olivério Medina é mundial!

No Rio, foi criado o Comitê Carioca composto pelo PCB, PCML, Conlutas, SINDSPREV, Associação Nossa América, Comitê de Solidariedade à Luta do Povo Palestino, Liga Bolchevique Internacionalista, Círculos Bolivarianos Leonel Brizola e PCR.

O comitê realizou, no dia 11 de outubro, um ato público na Cinelândia e às 18:00 na ABI - Associação Brasileira de Imprensa.

No ato da ABI, falou a representante do PCB, Zuleide Farias, e os representantes do PCML, Vitor Galoti e Osmarina Portal. Vitor Galoti denunciou as contradições publicadas há alguns meses sobre Olivério e as FARC, na revista Veja.

Zuleide Farias, falou dos interesses do governo norte-americano em se apossar da Amazônia e a luta pela água “esse é o principal interesse dos ianques”.

Osmarina Portal, afirmou “que o objetivo principal da prisão de Olivério é barrar o avanço da luta revolucionária, na tentativa de derrotar Chávez e Fidel. Mas não conseguirão, porque o futuro pertence à classe operária e o socialismo será inevitável!”.

No ato, ficou deliberado que o Comitê fará um Manifesto a ser assinado por intelectuais e será enviado ao governo Lula; e realizará também uma vigília, no período da Assembléia Nacional, que será realizada em Brasília.

Olivério Medina foi transferido para a Polícia Federal-DF.

Sucursal-RJ