Social

A classe operária e o 1º de Maio

Na semana do 1º de Maio, o INVERTA percorreu a região industrial do Rio de Janeiro, localizada no subúrbio de Santa Cruz, e no município de Itaguaí, verificando a precariedade crescente das condições de trabalho, principalmente no Porto de Sepetiba, onde o ar se torna mais poluído pela quantidade de materiais químicos em suspenção. Há também a dificuldade de transportes para os trabalhadores que são de empreiteiras e viajam em ônibus sem as mínimas condições de manutenção, semelhantes aos ônibus piratas do centro do Rio de Janeiro. Além disso, empresas de porte servem a interesses particulares, existindo a famosa e decepcionante política de quem indica ao invés da qualificação e da experiência como critérios. Em entrevista, operários falaram também sobre o papel desta data para todos os trabalhadores, das condições de trabalho onde estão empregados e do papel singular de nossa imprensa, e de formas novas de organização. Esta mensagem representa ânimo e luta para todos os trabalhadores e o proletariado, em geral.