Menem vendeu armas ao Equador

Menem vendeu armas ao Equador

Cedido por: Agência de Notícias Xinhua


O ex-presidente argentino Carlos Menem depôs perante a Justiça do país no processo sobre a venda de armas ao Equador e à Croácia.

Carlos Menem teve a prisão decretada pelo juiz, já que entre os anos de 1991 e 1993, quando aconteceram as vendas de armamentos para os países em conflito, vários decretos secretos presidenciais autorizaram a transação ilícita de 6500 toneladas de rifles, canhões, bombas e pólvora produzidos pelas Fábricas Militares subordinadas ao Ministério da Defesa Argentino.

Além de Menem, outro que está sendo acusado pelo desvio de armas é o General Martin Balza, de 63 anos, que está inclusive detido por ordem judicial no Campo de Mayo. Martin Balza foi Ministro do Exército do país de 1990 até 1999.

Devido a essas acusações, o ex-presidente argentino Carlos Menem está impedido de deixar o país, e seu projeto de passar a “Lua de Mel” com a nova mulher, ex-Miss Chile, Cecília Bolocco, fez com que Menen tivesse que pedir autorização à justiça para viajar ao exterior...