Comércio mundial é arma dos países ricos contra os pobres

Um documento do Banco Mundial, em conjunto com o FMI, mostra que entre o período de 1995 e 2005, quando deveria haver uma queda das tarifas e barreiras alfandegárias no comércio internacional (projeto que estava previsto pelo último Acordo do Gatt do Uruguai), está havendo concentração comercial favorável aos países desenvolvidos.

Comércio mundial é arma dos países ricos contra os pobres

Por: Bento Pereira


Um documento do Banco Mundial, em conjunto com o FMI, mostra que entre o período de 1995 e 2005, quando deveria haver uma queda das tarifas e barreiras alfandegárias no comércio internacional (projeto que estava previsto pelo último Acordo do Gatt do Uruguai), está havendo concentração comercial favorável aos países desenvolvidos.

Segundo o relatório “Acesso ao Mercado das Exportações dos Países em Desenvolvimento”, os países ricos lucraram nas trocas internacionais cerca de US$ 146,2 bilhões em exportações, enquanto os países pobres (a maioria) o número chegará a US$ 108,1bilhões.

Isso mostra que tanto no comércio internacional como nas organizações que regulam esse mercado há uma tendência de prevalecerem as decisões favoráveis aos países desenvolvidos em detrimento dos países pobres do Terceiro Mundo. Com a criação dos blocos econômicos essa tendência se acentuará, principalmente a União Européia, que sempre subsidiou sua agricultura para dominar o mercado internacional de “Commodities”, e assim os países mais pobres não exportem produtos primários para o mercado europeu. A crise econômica internacional já está fazendo com que os países tenham que se desfazer dos seus produtos primários, como é o caso da carne bovina, com eliminação do rebanho com a desculpa de epidemia de “Vaca Louca” ou de Febre Aftosa.

No início de uma Conferência das Nações Unidas, os 49 países mais pobres do mundo pediram ajuda para saírem da condição de miséria. O tipo de ajuda não seria só de apoio humanitário, mas investimentos econômicos e projetos de desenvolvimento, além do perdão da dívida externa destes países, que aumentaram de 25 para 49 de 1971 até hoje.

Essas nações detêm cerca de 630 milhões de habitantes que se localizam na África Subsaariana e no Sudeste da Ásia e também no Haiti em que as populações recebem em renda per capita inferior a US$ 900 ao ano ou menos de US$ 1 por dia. Como mais de 2/3 das exportações mundiais são de produtos primários que estão nas mãos das grandes empresas multinacionais que são ligadas aos países desenvolvidos do mundo criando uma espécie de neoliberalismo que gera o neocolonialismo das nações pobres que ficam cada vez mais pobres, já que a maioria dos produtos que exportam estão com o preço monopolizado no mercado internacional, aumentando a pobreza nesses países.

A pobreza só acaba quando a maioria dos países tiverem uma orientação socialista em que as trocas comerciais sejam mais igualitárias e que os valores sejam mais humanistas do que econômicos, onde o bem estar da população mundial seja um objetivos primeiro, como afirmou o camarada Lenin quando pregava o internaciona-lismo proletário e a solidariedade entre os povos.

monica ferreira
monica ferreira disse:
30/08/2011 01h52

Muito bom , me ajudo bastante no trabalho "

Andressa lopes
Andressa lopes disse:
01/09/2011 20h25

muito boa essa frase do comercio mundial ser a arma contra os países pobres,vou usar isso no meu trabalho

larissa cristina
larissa cristina disse:
08/09/2011 18h42

muito bom]

Rodrigo
Rodrigo disse:
25/09/2011 23h59

Muito bom, concerteza irá ajudar bastante em minha avalição.

pamela gabrielly
pamela gabrielly disse:
27/10/2011 13h23

adorei mim ajudou muito em meu trabalho e me ensinou as armas contra os paises ricos e pobres me ensinou e bom que eu irei passar para todos os meu amigos muito bom mesmo...

monique
monique disse:
10/12/2011 20h23

adorei o assunto obg valeu.

zarias   andrade
zarias andrade disse:
13/01/2011 17h31
como assim o comecio é uma forma dos paise ricos se aproveitarem dos outros paises pobres
Gabriel
Gabriel disse:
13/01/2011 17h31

 O comércio mundial é so uma disculpa para que os paises ricos possam intervir na política econômica dos paises pobres e evitar que novas potencias, com conceitos diferentes de vida se formem.

"Creio que cada ser nasce em plena liberdade e ele mesmo, com os seus atos, faz com que a sociedade o imopnha limites".

Um salve a Lênni que nos mostrou as coisas como são e não como estão.
sebastiao damiao da silva
sebastiao damiao da silva disse:
13/01/2011 17h31
tema:Desiguldades mundiais entre paises e pessoas sociais economicas
cristiano
cristiano disse:
13/01/2011 17h31
O comercio será sempre uma forma lucrativa, onde podemos formar carteis para continuar uma certa "dominação" está não será permanente.
Comentários foram desativados.