Por um ensino laico, sem opressão religiosa

DEBATE: Recentemente o ultra conservador cardeal arcebispo Eugênio Sales, numa entrevista dada a não menos conservadora Rede Globo, disse que se deve ensinar religião nas escolas públicas, como um dos meios de se combater a violência e as drogas.

Por um ensino laico, sem opressão religiosa

Elisabeth M. da Silva Almeida



Recentemente o ultra conservador cardeal arcebispo Eugênio Sales, numa entrevista dada a não menos conservadora Rede Globo, disse que se deve ensinar religião nas escolas públicas, como um dos meios de se combater a violência e as drogas.

Não basta a gente ver católicos e protestantes tendo grande penetração nas rádios, televisão e na política, agora também querem penetrar nas escolas.

A prefeitura representada pelo demagogo e discípulo de Mussolini, César Maia, já está pensando em fazer concurso para professores de religião.

O prepotente, pseudo esquerda, evangélico Garotinho, continua defendendo a velha Escola Nova que não ataca o capitalismo, ao contrário, defende os interesses da burguesia. Não adiantou nada sua visita a Cuba.

O estudo da religião consta como disciplina facultativa no artigo 33 da Lei de Diretrizes e Bases da educação nacional; algumas escolas já têm essa disciplina.

Querem combater a violência e as drogas com religião nas escolas, como se isso fosse a salvação da humanidade. Mas na verdade, a história nos mostra que a religião foi um grande atraso para a humanidade, teve em seu passado os mais terríveis e cruéis atos de violência como os tribunais da Inquisição. Num desses tribunais do Santo Ofício em 1600, o matemático e astrônomo Giordano Bruno foi expulso da Igreja e queimado vivo. Enquanto esperava a execução da sentença, Giordano gritava as verdades que tinha descoberto, então pregaram-lhe a língua. Disse Giordano Bruno: “O mundo não foi criado por Deus nenhum, nem por qualquer homem. Sempre existiu e continuará existindo”.

Não podemos combater o vício das drogas, que é um produto da sociedade capitalista, com um outro vício que é a religião, produtora de vários tipos de preconceitos.

Marx diz: “... a religião é uma ideologia impotente para orientar, na prática, a luta pela transformação do mundo, a luta pela superação das instituições baseadas na propriedade privada. Por isso as religiões funcionam como o ópio do povo, pregando o conformismo e a resignação”.

Nem as igrejas ditas “mais progressistas” não conseguem aprofundar nas questões sociais. Devemos lutar por um ensino laico (Laico quer dizer não-religioso. Assuntos de religião não entram na escola pública). Que se valorize a cultura, que se incentive a arte, a ciência, a prática da leitura e da escrita. Que desenvolva uma consciência crítica, incentivando a participação efetiva nas lutas sociais, políticas e econômicas. Enfim, uma escola livre da opressão religiosa, que seja democrática e transformadora da sociedade. E que também valorize o professor com salário digno. Em vez de se preocuparem com o ensino religioso deveriam liberar mais verbas para a educação.

Podemos sim, mais a burguesia não quer, combater a violência e as drogas - monstros gerados pelo capitalismo - com uma Revolução Socialista.



Viva o ensino laico e gratuito!

Não ao conformismo religioso!

Viva a Educação Socialista!


Artemilson Amorim
Artemilson Amorim disse:
13/01/2011 17h31
Acho o maior de todos os absurdos existir uma lei que institua o ensino religioso, como pratica obrigatoria. A escola brasileira nao está preparada para ensinar religião. Os professores que tem orientação religiosa católica, ensinarão religião a luz da religião católica. Os professores que tem orientação religiosa evangélica,ensinarão religião com a dotrina evangélica. Por isso eu sou terminantemente contrario a obrigatoriedade do ensino religioso nas escolas públicas. Religião prega dotrinas que estão ligadas as divindades,por isso esse tema, religiao, deveria ser pregado somente pelas igrejas.O argumento que defende que ensino religioso funciona como forma de fazer com que as pessoas se livrem das drogas,só funciona na pratica religiosa. Na pratica cientifica nao funciona. Deus abençoe os nossos palamentares, pois ultimamente eles tem aprovado leis, um tanto quanto isdruchulas.
shara ley
shara ley disse:
06/04/2011 19h42
sou pofa deeducação infanti em uma instituição evangélica, li sua mtéria e discordo dela.
não é um antidoto que se usa para curar uma doença a religião é a concientização daverdade eu acho positivo na escola porque a palavra de Deus é a verdade sem a menor duvida.
Cláudia
Cláudia disse:
15/04/2011 15h58
Imaturo seu comentário, chega a ser ridículo! Buscar a religião lá nos primórdios, assim como a ciência errou, as doutrinas também erraram, como um individuo vai participar de uma luta social, se ele não acreditar na sociedade (pessoas) como irmãos? Sou espírita e sei que você tem o livre arbitrio de pensar como quiser, mais daí "achar" que pode manipular os leigos e ignorantes a formar uma religião que não se deve acreditar em todas as outras religiões, o que vocês chamam de ensino laico, é simplismente uma forma de querer trazer um vicio novo. Em nenhum momento você se referiu à Deus, você se acha tão superior assim? Então resolva o problema da violência.
Comentários foram desativados.