América Latina

NOTA DO PCML (Br) CONTRA O CÍRCULO DE FOGO QUE RONDA NOSSA AMÉRICA

É inaceitável o golpe que retirou Evo Morales da presidência da Bolívia e o massacre patrocinado pela direita imperialista com a cobertura da Organização dos Estados Americanos (OEA) contra a vontade popular e a autodeterminação dos povos. É inaceitável que a embaixada da República Bolivariana da Venezuela seja invadida por milicianos venezuelanos e brasileiros em nome de um golpista que se autoproclamou presidente.

Subserviência governo do Equador ao FMI enfrenta greve e resistência indígena!

O governo eliminou os subsídios ao diesel Hola gasolina em um país produtor de petróleo, liberou o preço ao mercado internacional permitindo então a flutuação do mesmo, reduz um dia de salário para os servidores públicos, reduziu as férias destes públicos de 30 a 15 dias, e este foi o primeiro pacote das medidas que contempla a carta de intenção assinada pelo governo nacional e o FMI.

60 anos de Prensa Latina e os laços inquebrantáveis com o INVERTA

Os 60 anos de existência da Agência informativa Latino Americana - Prensa Latina, uma grande e vitoriosa iniciativa para os povos da América Latina e do Mundo em busca da informação verdadeira, livre das amarras do Capital e suas falácias. Os trabalhadores e trabalhadoras do Jornal Inverta celebram aqui no Brasil em cada rincão onde nossa imprensa revolucionária alcança e mais o apreço e admiração por sua exitosa e exemplar trajetória, bem como reconhece que o segredo do sucesso de Prensa Latina é a solidez de princípios, a formação profissional e a dedicação revolucionária do seu corpo de trabalhadores.

O golpismo teleguiado contra a Venezuela!

No último dia 4 de janeiro, o chamado Grupo de Lima (Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Guatemala, Guiana, Honduras, México, Panamá, Paraguai, Peru e Santa Lúcia), com voto contrário do México, aprovou graves medidas intervencionistas contra a Venezuela

As eleições de 20 de maio na Venezuela

A campanha presidencial na Venezuela foi iniciada em 23 de abril, tendo como candidato o presidente Nicolás Maduro. As prioridades segundo o presidente são: a) consolidação do processo educacional público alcançando 100% de escolaridade, buscando equacionar problemas de fornecimento em todos os níveis; b) fortalecer o carnê da Pátria; c) alcançar cinco milhões de moradias da Grande missão casa para que se possível todas famílias consigam um lar; d) vencer a grande revolução econômica para obstaculizar o assédio internacional.

Equador, um breve histórico do governo de Correa e Moreno

Lenin Moreno não só se distanciou de Rafael Correa como indivíduo, mas a consulta popular tenta mudar o processo equatoriano também no nível político. Porém, é importante se perguntar até onde o atual presidente mudará a política de seu antecessor, e até onde as disputas internas pelo poder permitirão retrocessos e avanços.

CUBA REITERA SEU APOIO A LULA

O Ministério de Relações Exteriores da República de Cuba denuncia a prisão com fins políticos do companheiro Luiz Inácio “Lula” da Silva, o que constitui um fato gravíssimo ao tentar impedir que o líder mais popular do Brasil seja candidato à presidência desse país.

Nosso direito de sermos Marxistas-Leninistas

Os 27 milhões de soviéticos que morreram na Grande Guerra Pátria, o fizeram também pela humanidade e pelo direito de pensar e de serem socialistas, serem marxistas-leninistas, serem comunistas, e a saírem da pré-história.

A busca pela paz com justiça social na Colômbia

Estima-se que na Colômbia, país afetado por mais de 50 anos de guerra interna, mais de 6,5 milhões de pessoas foram prejudicadas pela mesma e que, entre elas, mais de 200 mil morreram produto da violência, na qual têm participado não somente as guerrilhas e as forças militares do Estado, senão que também paramilitares e grupos criminosos associados ou não ao narcotráfico, entre outros atores.

Putin por uma América Latina unida, sustentável e independente

Moscou, 10 de Jul O presidente Vladímir Putin expressou hoje o interesse da Rússia numa América Latina unida, forte, economicamente sustentável e politicamente independente. Em entrevista exclusiva à Prensa Latina, antes de viajar a Cuba, Argentina e Brasil, Putin considerou que os processos de integração da América Latina demostram a aspiração à consolidação política da região e o fortalecimento de sua influência no mundo.