Festival Insano agita a cena alternativa na capital paraibana

O Festival Insano, em sua primeira edição, surgiu para ser momento de integração entre manifestações de cultura alternativa na capital paraibana. Com a presença de algumas dos principais bandas, que fizeram e continua fazendo história no Estado

O Festival Insano, em sua primeira edição, surgiu para ser momento de integração entre manifestações de cultura alternativa na capital paraibana. Com a presença de algumas dos principais bandas, que fizeram e continua fazendo história no Estado, que fazem da música um ato político de resistência, com criticas sociais inspiradas no cotidiano urbano. Além da grande noite de shows, o artista plástico paraibano Hywkesen Lima de Santana (João Pessoa/PB) irá expor suas obras pintadas sobre Eucatex.

Hywkesen Santana, 32 anos, é graduando em filosofia (UFPB), e vê arte visual em particular um grande poder de expressão. “Quando criança me achava muito tímido. Embora com muitas coisas para dizer, algo me travava. Mas com o tempo acabei percebendo, por meio dos desenhos que aquilo, de algum modo, me aproximava das pessoas, o que com o tempo me alargou os horizontes”. Daí, então, não parou mais.

O Festival é uma iniciativa de Marcos Lopes e Leandro Roque, vocalista e guitarrista da banda Césio 137 que teve a idéia de organizar um evento com um propósito. Em um momento político e social como a qual passa todo o Brasil, um festival como este é um grito de rebeldia. Algumas das bandas que participarão do festival:

A Musa Junkie, uma das bandas veteranas do rock de João Pessoa/PB. Começaram como um duo em 1990, época em que o hardcore predominava na cidade e, em pouco tempo, se juntou a eles Beto (Rotten Flies), sob o nome de Musa Junkie Suicida, no final daquela década, já como trio e com o nome abreviado apenas para Musa Junkie, registraram a demo tape “Boemia” com cinco canções que davam uma mostra do passeio sonoro do trio, entre o rock nacional com cara de anos 80, e o punk rock melódico com doses de surf music. Na atual formação, Ediliano Valeriano (baixo e voz), Edy Gonzaga (guitarra e voz) e oscar Picones (bateria e voz).

A banda Césio 137 foi formada no ano de 1999, em meio a cena underground de João Pessoa/PB. Com várias influências no repertório, não abre mão das letras que mostram a realidade e o cotidiano das pessoas. Acordes rápidos, junto a riffs instigantes, que colam na memória de qualquer um que escuta, a Césio 137 e o seu Sistema Corroído está mais atual do que nunca. Na formação, Marcos Lopes (baixo e voz), Leandro Roque (guitarra e voz) e Ronaldo Nanakeyse (bateria e voz).

A Letal foi criada por Erivan Letal, em 2002, na cidade de Sapé/PB, embasando sua sonoridade numa linha hardcore beirando o crossover. A banda permaneceu na ativa por cerca de 10 anos, fazendo parte do circuito de shows em vários cantos da Paraíba até o final de 2016. Já em 2018, a banda resolve retomar as atividades. Na formação, Victor Laudelino (Bateria), Maxwell Nunes (Baixo) e Erivan Letal ( Voz e Guitarra ).

A banda Coalizão, uma das porradas da noite do Festival Insano, a banda de Hardcore Old School, como o próprio nome sugere, é a reunião de 4 subversivos colaboradores de longa data. Ramsés (Vocal), Oscar (Bateria) Ilson (Guitarra)e Edmundo (Baixo) formam um time de peso no quesito periculosidade sonora antissistema. Completam a fórmula do Molotov, letras ácidas e sonoridade com um pé no Punk dos anos 1980-1990.

SERVIÇO: O Festival Insano será realizado no próximo dia 05 de outubro, sexta-feira, a partir das 20 horas, no Mofado Bar Studio, localizado na Av. Duque de Caxias, nº 28, centro de João Pessoa (próximo a Academia Paraibana de Letras).

 

Sucursal  Fortaleza