As presidentas latino-americanas Dilma e Cristina em conferência em São Paulo

O dia 9 de dezembro foi marcado em São Paulo pela presença de duas figuras de extrema importância que compuseram o avanço das políticas progressistas na América Latina, viabilizando a melhora nas condições de vida dos(as) pobres e periféricos(as) de seus países: Dilma Rousseff e Cristina Fernandez.

Na conferência "A luta política na América Latina hoje", realizada na capital paulista, foram discutidas as questões sobre o papel das grandes corporações midiáticas como influência de articulação no movimento político atual e no avanço do neoliberalismo na América Latina.

Segundo Dilma, o Partido dos Trabalhadores (PT) tentou através de um projeto progressista diminuir a pobreza e a desigualdade social no Brasil; a luta teve por objetivo garantir os direitos básicos aos brasileiros e brasileiras, assim como educação, moradia, saúde e trabalho, favorecendo o crescimento socioeconômico, sendo essas as marcas dos governos de Dilma e do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva.

Com o golpe, o atual presidente Michel Temer, membro do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), junto a outros setores, solaparam o projeto político desenvolvido por ela e Lula, o que vem nitidamente causando severos retrocessos ao país.

Dilma acentuou o fato dos aliados de Temer terem se aproveitado da situação de “crise” para dar o golpe, desestabilizando seu governo. Michel Temer vem destruindo direitos do povo! Esta ação tem por fim dar início à privatização dos setores públicos e estratégicos do país, entregando tudo a iniciativa privada estrangeira.

Diante dos retrocessos que acontecem na Argentina, a ex-presidenta Cristina Fernandez chamou a atenção para a reconquista de setores médios de seu país que foram cooptados pelos setores mais reacionários e entreguistas e que justificaram a vitória de Macri e todas as atuais mudanças.

O avanço do neoliberalismo e suas consequentes mudanças e desestruturação do projeto progressista foram reconhecidos por ambas. Dilma, no encerramento de sua fala, apontou para a Reforma Política e a Eleição Direta como o melhor caminho para o país neste momento.

 

Juventude 5 de Julho - SP